sábado, 21 de abril de 2012

Niterói quer Paz

Manifesto Desabafos Niteroienses lido na manifestação, nova postagem com legendas:

    Hoje está sendo comemorado o Dia do Basta no país inteiro, então queríamos aproveitar para conversar com a sociedade niteroiense, aqui reunida, aos poucos despertando de um estado de torpor, próprio dos violados sem saída, dos desesperados. Os ativistas de Niterói têm visto com gosto o crescimento da mobilização popular, somando-se aos movimentos que já há mais de 20 anos lutam pela cidade.
        As manifestações começaram mais restritas à internet sobre os constantes problemas com trânsito, que até pouco tempo parecia ser o maior dos problemas da  cidade. Vale lembrar, que essa questão teve sua origem em 2002, quando o Plano Urbanístico Regional das Praias da Baía foi aprovado a portas fechadas da Câmara, e a população foi obrigada a ficar de fora, em uma 'audiência pública' !! - quem quiser maiores informações, vejam o site acordaniteroi.org, que publica material do CCOB sobre quem estava estava lá dentro aprovando! - acordaniteroi.org/2873acordaniteroi.org/2848. Nesse plano aprovado à revelia, nascia uma série de propostas e condições urbanísticas que vieram facilitar a expansão e a especulação imobiliária que vemos hoje. Com isso veio o acréscimo de carros e nenhuma atitude da administração para compensar ou melhorar à rede viária e de transportes diante desse enorme aumento no volume de trânsito. Isso para não falar em drenagem, em rede de esgoto, serviços.. e tudo que um aumento de demanda de população exige.
        Depois foram diversos os momentos que tivemos os niteroienses nas ruas:
Os desabrigados das chuvas de 2010 e os desassistidos em áreas de risco de diversos bairros da cidade como Maceió, Caramujo, Santa Bárbara, entre outros que continuam sem atenção; empreendimentos imobiliários em área de proteção ambiental, em Camboinhas; depredação do patrimônio público, como o caso do Cinema Icaraí; propostas de remoção de população para implantação de 'bairro modelo' no Sapê; a quase venda do Estádio Caio Martins, a privatização da Cantareira, o zoológico, a obra da Alameda, entre diversas outras situações em que a proposta governamental ia frontalmente contra o interesse da comunidade niteroiense. Ainda temos o problema do alargamento da estrada de Itaipu no Cantagalo, ocupações no entorno da Lagoa de Itaipu, remoções na Lagoa de Piratininga, a drenagem e a pavimentação prometida para a região Oceânica, para não falar no descalabro e falta de transparência nas obras do Mergulhão, nas aprovadas Torres de Oscar Niemeyer muito além do gabarito no Centro, e propostas de mudanças oportunistas da legislação urbanística favorecendo grupos quando na realidade o plano diretor já deveria ter sido revisto há anos... Enfim, a lista é interminável... porque não falamos do aumento dos ônibus, das Barcas, dos calçadões caindo, dos tsunamis de coco, da privatização dos serviços públicos... e daquilo que nem podemos fazer idéia!
         Hoje o problema da segurança atinge drasticamente toda a cidade.  O estado limite de insegurança e intranquilidade que vivemos, é apenas coerente com a desatenção e desrespeito à população, por parte dos governos estadual e, principalmente, municipal, que temos pelo menos nos últimos 4 anos. Não há novidade. A novidade é a reação dessa população que agora ACORDA!
         A cada dia alguma coisa piora um pouco mais. Desde à qualidade do asfalto que vem sendo colocado ultimamente em nossas ruas,  como às - SÓ - recentes respostas do governo diante da mobilização da população que reclama, nos jornais, nas redes sociais, que faz passeata, que se informa e se mobiliza. Por acaso o problema da insegurança é recente? NÃO.
         Queremos chamar à reflexão, que esta insegurança, o desrespeito ao cidadão, não começou agora, há poucos dias, alguns meses.. mas começou no mínimo há 4 anos atrás. Quiçá 20...
        A mídia tem sido usada de forma escandalosa e mentirosa, numa tentativa de reverter um quadro que a administração pública estabeleceu e que nós de alguma forma permitimos. Mas hoje estamos aqui para dar um basta. Sabendo que as notícias falaciosas veiculadas, precisam ser fortemente combatidas. A prefeitura, o governo, contam com a nossa desinformação. Contam com os churrascos e sacos de cimento oferecidos às comunidades menos favorecidas. Queremos reforçar a atenção à consciência da importância da participação de cada um. Que a cada dia Niterói possa se reconhecer menos como bairro o A, B ou C – e como classes A, B ou C, mas como 'A' comunidade niteroiense, que precisa se fortalecer, e se unir para eleger melhores representantes do que esses que aí estão levando propinas, fazendo falcatruas e literalmente dando o cano na população! Seja lá quem for que venha a ganhar esse pleito - que continuemos juntos, cobrando exigindo, e impedindo que coalizões interesseiras, e até desonestas, se façam às custas e às costas da população. 
        Que essa estranha oportunidade de estarmos juntos, clamando por segurança, se perpetue em aprendizado contínuo de participação cidadã,  conscientes da importância da informação, como instrumento de força da população, e que só assim, com esta participação, os governantes podem e devem dirigir a cidade, na direção do bem-estar de TODA sua população.

COMUNIDADE UNIDA DE NITERÓI, POR FAVOR, AJUDEM A DESPERTAR MAIS CIDADÃOS!
DesabafosNiteroienses



 

Vídeo corrigido e  complementado:

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Deficiência da NitTrans coloca crianças em perigo

Depoimento de leitor:

O sinal de trânsito entre o Instituto Abel e o Centro Cultural La Salle, no encontro das ruas Álvares de Azevedo com Dr. Paulo César, existe uma deficiência grande no sinal de trânsito, o que quase originou o atropelamento, presenciado por mim, de algumas crianças uniformizadas do Abel no dia 09/04/2012 às 07 h.
Nessa hora, nessa época do ano, o sol está nascendo por trás dos motoristas, incidindo uma grande claridade sobre o único sinal disponível no canto inferior esquerdo, próximo à cabine abandonada da PM. A impressão para os motoristas que vem da Rua Dr. Paulo César é que não existe sinal, parecendo que ele foi removido. Já os pedestres atravessam a rua achando que os motoristas identificaram que o sinal está fechado, provocando um alto risco para o acontecimento de acidentes.
A situação se agrava pois esse é um horário já conhecido pelos moradores onde o trânsito da ruas Noronha Torrezão e Dr. Paulo César ficam mais estressantes, pelos pais que deixam seus filhos no Abel concorrendo com os motoristas que estão indo para o Centro de Niterói ou em direção à Ponte. Somando a ineficiência do sinal, a falta de guardas para gerir o trânsito no local, com o trânsito e o perfil dos pedestres que atravessam nessa hora (estudantes na sua maior parte), temos uma situação propícia a acidentes onde a Prefeitura de Niterói é a principal responsável, por negligenciar a sua responsabilidade em garantir a segurança do trânsito em Niterói.
Geraldo Souza




domingo, 15 de abril de 2012

Manifestação em São Francisco






















Presenças que nos causam curiosidade: Sr Miguel Vitoriano, presidente do PDT em Niterói, e Secretário Municipal de Integração Comunitária da Prefeitura de Niterói...
A integração comunitária estava ok, secretário?