sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012! O que fazer além de torcer e sonhar?

por Paulo Eduardo Gomes*, sábado, 31 de Dezembro de 2011 às 18:21(texto postado no Facebook)
2012 - O ANO DOS 3 EM 1
     Foi desta maneira que o Prefeito aultista JRS se referiu as suas esperanças de fazer com que o último ano de seu atual desgoverno, 2012, reverta a imagem desastrosa que está na cabeça de mais de 80% da população de nossa cidade, desde que ele, voltando de Miami, voltou a (des)governar a cidade a partir de janeiro de 2009. Cento e sessenta mil eleitores, dentre os quais cerca de 100 mil das classes rica e média, deram a ele o seu 4º mandato, que muito cedo se transformou em pesadelo para todos, pobres ou não, de nossa cidade.
     Para além do episódio das mortes nas chuvas de abril de 2010 em que veio a público para cinicamente afirmar que não sabia da existência dos riscos no Lixão do Bumba, passando pela degradação dos serviços públicos de educação e saúde e culminando pela desavergonhada e criminosa autorização de enormes prédios na cidade, sem o respectivo investimento prévio na infra-estrutura do sistema viário e na mobilidade urbana, este (des)governo opera funciona bem para quem enriquece às custas da cidade, seus amigos e sócios, em detrimento da qualidade de vida das pessoas, de todas as classes sociais, que aqui escolheram viver e trabalhar.
     No episódio do Bumba mentiu descaradamente: o aterro fora fechado pelo governo de Waldenir de Bragança em 1987 e protegido de ocupações até o início de 1989. Com a assumpção do PDT ao governo do Estado em 1991, segundo governo Brizola, Jorge e seus aliados, irresponsavelmente, conseguiram que o governo estadual lá implantasse o Projeto "Uma luz na escuridão" da antiga CERJ e que a CEDAE lá instalasse uma enorme caixa d'água para alimentar as cisternas dos "sem tetos" que para lá foram atraídos pelas benfeitorias. Como pode o governante que de 1990 em diante estimulou a ocupação, negar em 2010 que soubesse da existência de lixão?  Contabilizados os desabrigados do Bumba e das demais localidades, até o final deste ano de 2011 nenhuma moradia popular foi construída especificamente para eles e os recursos do "aluguel social" e de "conteção de encostas" sairam todos do governo estadual. Nenhum centavo dos quase R$ 1,5 bilhão do orçamento de 2011 saiu para abrigar os desabrigados. Onde foram gastos? Só o prefeito, seu super secretário de obras, Zeca Mocarzel, e seus sócios podem responder. O olhar social para as necessidades de uma Niterói com qualidade de vida foram jogados na lata do lixo. A prova disto foi dada recentemente quando, para além de tramar às escondidas contra a população, tentou trair as próprias construtoras da cidade, representadas pela ADEMI, vendendo as terras edificáveis da cidade,incluindo áreas ainda virgens como Pendotiba, para a empreiteira Andrade Gutierrez. Estava por trair a todos que até recentemente financiavam as suas campanhas. Tal manobra, imediatamente denunciada pelo movimento social representado no Conselho Municipal de Política Urbana - COMPUR; o CCOB, a universidade, nós do PSOL e pela própria ADEMI, levou à demissão do Secretário de Planejamento, Euclides Bueno, e, para queima de arquivo, à extinção da própria Secretaria de Planejamento, com a desculpa de que se cometera um "equívoco imperdoável". Na realidade Jorge Roberto Saad da Silveira sabe que para vencer a rejeição que ele encontra nas ruas, para além daquela do Restaurante Gendai da região Oceânica, precisará de muitos recursos. Recursos muito superiores do que seus tradicionais financiadores podem, sózinhos, continuar fornecendo.
    Para JRS e seus sócios tudo precisa ser feito para fortalecer a rapinagem dos recursos públicos da cidade, para tentar uma nova vitória nas urnas, custe o que custar. De duas, uma; ou ganham um novo governo para a continuidade da rapinagem ou, na iminência de perdê-lo, se tornam sócios de todas as atividades rentáveis da cidade através do assalto aos recursos públicos formados pelos impostos que pagamos. Privatizaram as atividade da CLIN no ano de 2011 alegando, entre outras razões, que o governo gastaria menos com a privatização. Com o consentimento de uma Câmara de Vereadores ignorante e omissa, a Lei Orçamentária 2012 prevê muito mais recursos para a CLIN do que se gastava antes da privatização. Mas não basta apenas a CLIN privatizada para tirar mais recursos do tesouro municipal. Afinal de contas, se mais de 70% da população de Niterói tem Planos de Saúde e educam seus filhos em escolas particulares, porque deixar toda esta grana (25% - educação e 18% - saúde) na mão do governo? Contando com a criminosa cumplicidade de uma Câmara de Vereadores omissa e subserviente, comportamento da esmagadora maioria de seus membros, o (des)governo JRS mandou Projeto de Lei em 22 de dezembro, dois dias antes do Natal, para que fosse aprovado custasse o que tivesse que custar, legalizando a possibilidade de que recursos do tesouro possam ser repassados para a iniciativa privada, através das chamadas Organizações Sociais - OS. A sociedade civil, chamada de baderneiros pelo Presidente da Câmara Paulo Bagueira Leal, se mobilizou para impedir tal assalto aos interesses públicos da cidade e ocupou o Plenário da Câmara Municipal no último dia de votação (29/dez) em duros protestos contra o Projeto de Lei. Como a ordem era aprovar de qualquer maneira, Paulo Bagueira, após requisitar a presença da Polícia Militar, aprovou o projeto das OS, às escondidas, no Auditório da Câmara. Um vereador esteve ausente (Gallo) . Renatinho, Leonardo Giordano e Waldeck Carneiro, presentes, se negaram a participar da votação sem a presença do povo. Os demais 13 vereadores votaram a favor deste vergonhoso projeto. Alguns dos vergonhosos argumentos usados para aprovação do projeto já circulam nas redes sociais.
      Enfim, muita gente em nossa cidade quer mudanças de rumo. As pesquisas privadas, mandadas fazer por quem têm recursos para tal, indicam profunda vontade de mudar. Nós do PSOL também temos vontade e sonhos de mudança. Nosso dirigente estadual Honório Oliveira nos lembrava há pouco aqui no Facebook, um texto de Lênia acerca dos sonhos:

"É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com nosso sonho, de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Sonhos, acredite neles." Lênin

      Concordamos que é preciso sonhar com mudanças, sim. Acreditamos, entretanto, que elas só ocorrerão em nossa cidade se, além dos cerca de 160 mil eleitores que acreditaram em Jorge Roberto da Silveira em 2008, todos os homens e mulheres de bem desta cidade quiserem tomar em suas mãos a construção de uma Niterói mais humana, mais justa e solidária. Niterói não será mudada de verdade se as prioridades form mantidas. Não basta se opor a Jorge Roberto e rejeitá-lo nas pesquisas. É necessário refletir sobre o significado deste modelo de cidade, as conseqüências negativas deste modelo e, PRICIPALMENTE, quem apoiou JRS e este modelo de cidade durante os últimos 23 anos.

     Nós do PSOL estamos dispostos a sonhar e construir uma Niterói melhor para nós, nossos filhos e netos. Não pouparemos esforços para, com princípios republicanos e sem preconceitos, construir com a sociedade um Programa Movimento que planeje, no tempo e espaço, o futuro que todos queremos.

    Que se juntem a nós todos que desejarem tais mudanças.

   Feliz 2012!
   *Paulo Eduardo Gomes, 61 anos, engenheiro e militante do Partido Socialismo e Liberdade.

FÓRUM DE TRABALHADORES DA SAÚDE MENTAL DE NITERÓI

AUDIÊNCIA PÚBLICA – 13/12/2011
Cidadãos de Niterói: usuários, familiares e trabalhadores da Saúde Mental, senhores vereadores e demais convidados, boa tarde. Comparecemos hoje nesta casa que é a nossa, para dar-lhes um breve, mas preciso panorama sobre como se encontra a Rede de Saúde Mental de nosso município, no que se refere aos direitos humanos.

No dia 29 de junho de 2011, um ato público em frente a esta Câmara manifestou a insatisfação de trabalhadores e usuários da Saúde Mental com relação à forma como a Prefeitura tem conduzido politicamente as ações neste campo. Insatisfação que arriscamos dizer que não é só nossa, mas que abrange a Saúde Pública como um todo.

A partir deste ato, nós, trabalhadores da Saúde Mental desta cidade, fundamos um Fórum que representasse a mobilização surgida naquele dia histórico para a luta por melhores condições de realizar nossa tarefa, que é a de oferecer aos nossos concidadãos serviços adequados as suas necessidades. O nosso pronunciamento de hoje é fruto das discussões ocorridas nos encontros deste movimento.

Nós propomos, nesta ocasião, a abertura de um debate que não pode se restringir a este breve momento e que entendemos dever se dar preferencialmente neste local, na Câmara Legislativa. Cabe a nós cobrar dos membros desta casa, de uma maneira mais próxima, que se posicionem frente à precariedade com a qual nos deparamos cotidianamente. Para tanto, precisamos começar pela apresentação dos sérios impasses que vêm se agravando ao longo dos anos no nosso campo. Impasses que têm trazido risco de iminente desassistência aos pacientes que acompanhamos.

O que nomeamos como Rede resulta de árduo trabalho há, pelo menos, vinte anos. Trabalho de diversas categorias profissionais, as quais sempre se comprometeram e se comprometem eticamente com o cuidado, com a atenção àqueles acometidos por sofrimento psíquico. É o empenho destes profissionais que dá substância e eficiência a seis ambulatórios, quatro CAPS (Centros de Atenção Psicossocial), à ERIJAD (Equipe de Referência Infanto-Juvenil para Ações de Atenção aos Usuários de Álcool e outras Drogas), um Centro de Convivência chamado de “Oficinas Integradas”, duas residências terapêuticas, quatro apartamentos no PAC Preventório para moradia assistida, uma emergência psiquiátrica 24h e o Hospital Psiquiátrico de Jurujuba, com quatro enfermarias para pacientes agudos e duas para aqueles de longa permanência.

Vale destacar o trabalho pioneiro de Acompanhamento Domiciliar e ressaltar a Escola de Redutores de Danos e o Consultório de Rua, vinculados ao CAPS AD. Para a remoção psiquiátrica, contamos com o SAMU. Cerca de oito mil niteroienses são usuários destes serviços, cujas existências estão absolutamente respaldadas nas leis que regulam a Saúde Mental e que, seguramente, são de conhecimento de nossos legisladores e executivos.

O que não tem respaldo legal é a perpetuação de 130 leitos para internação em clínicas privadas contratadas, a saber: Casa de Saúde Alfredo Neves e Instituição Frederico Leomil. Aproveitamos a oportunidade de falar num espaço aberto pelo Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Vereadores para destacar as condições sub-humanas as quais os pacientes internados nestes manicômios são submetidos. O município de Niterói não pode mais conviver com este modelo anacrônico e incoerente com as premissas da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Necessitamos de corajoso apoio político para intervir imediatamente nestes asilos e para podermos acolher estes cidadãos que lá se encontram. 

Discutir direitos humanos é falar de dignidade humana. Sem dúvida, o trabalho é um componente fundamental de uma vida digna. Os profissionais da Saúde Mental desta cidade dão valor ao seu trabalho, mas não conseguem realizá-lo plenamente. Não é possível viver dignamente pela metade. Não podemos nos sentir realmente dignos se não temos direitos trabalhistas básicos garantidos. Não podemos nos sentir realmente dignos se somos mal remunerados e se nossos salários são pagos com inconcebível atraso. Não podemos nos sentir realmente dignos se a Prefeitura organiza uma seleção pública que não garante nem a manutenção do que já existe em nossa Rede, muito menos o avanço necessário para a resolução de nossos problemas atuais.

Um indivíduo digno anda de cabeça erguida e trata os outros de maneira justa e respeitosa. Nós fazemos o possível com este intuito, mas não dispomos, em muitas ocasiões, dos meios materiais para termos êxito pleno. Não dá para fazer valer os direitos humanos quando nossos pacientes não têm um remédio de que precisam para se manter saudáveis. Não dá para fazer valer os direitos humanos quando um CAPS não consegue dar três refeições decentes a sua clientela. 

É também nas pequenas coisas que exercemos nossa dignidade. É impossível aceitar que nossos pacientes derretam com o calor de nossos consultórios, assim como é impossível compactuar com o péssimo estado de conservação de nossos serviços, com o mofo que causa alergias e com as portas quebradas que precisam ser seguradas com cadeiras para permanecerem fechadas. O município precisa zelar pelo que é seu, pois isso corresponde a zelar pela sua população.

Por muito tempo, os trabalhadores da Saúde Mental de Niterói conviveram com situações que não podem ser toleradas. Hoje entendemos que não dá para simplesmente esperar pelas soluções para nossos problemas. Precisamos ter uma postura mais ativa e combativa e é a isto que o Fórum se propõe. Nós não descansaremos e não pararemos por aqui. Este texto é um “pontapé inicial” numa luta que se travará aqui e na Prefeitura pelos direitos humanos dos profissionais e usuários da Rede de Saúde Mental de nossa cidade.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Icaraí e o lixo...

Irão dizer que isso é reveillon, agrados à Iemanjá.. não fosse hoje ser dia 30 de dezembro, estaria tudo absolutamente igual.. talvez sem champanhe nem flores.



Cinema Icaraí em nova fase!!

Quem mandou colocar isso aí, moço?! 
- A UFF..
- Que nada, quem tá colocando somos nós!!
Valeu, obrigada!
 

Ocupa Niterói em fase de desOcupa.. até 5 de janeiro!! Aguardem!

Uma cidade acostumada com tantos golpes levou mais um.. 
Ligaram: 'os guardas municipais estão desmontando o Ocupa..' 
Corri pra lá, mas antes postei o recado que recebera no grupo no Facebook: 'polícia no Ocupa?!' Cheguei em segundo. Aos poucos foram chegando os demais integrantes do Ocupa: cadê a Guarda Municipal?!
Não havia nem houve guarda nenhum.. 
Mais parece um belo dum golpe de alguém por enquanto anônimo.. afinal apareceu uma galera para ajudar no desOcupa. 
Mas é só até o dia 5 quando retornam às areias de Icaraí. 
Feliz 2012. Feliz Ocupa!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Mais uma vez os vereadores governistas votam a portas fechadas...

População ocupou a Câmara até a nova sessão às 17h.. 

 Cartazes são preparados para nova sessão..
 
 Até a barraca do OcupaNiterói ocupava o hall da Câmara!
A cidade não é uma empresa - Ocupa Niterói
 

Isso é anticonstitucional!!
 

Diário documental de Alex Frechette- Votação das OSs em Niterói http://youtu.be/t-Ge8Guhhjc

Chuva de notas na Câmara...
 
 
2 PM's entram na platéia lateral... População pula para a plenária

 




Foto:
 em Câmara de Vereadores de Niterói.

Gravação de fala de Paulo Eduardo Gomes http://youtu.be/IWsJTyH8lnc

Assine o abaixo assinado em 

http://bit.ly/vereadoresniteroi


Votação da Privatização de Niterói - Câmara

Galerias da Câmara cheias.
Vereadores governistas levam 1hora e meia de atraso...
Chegada do pessoal da Saúde Mental..
 Professor Gallo..propaganda eleitoral?! Não!! ele é professor...
 E vereador João Gustavo, é o quê?!
 Ocupa Niterói presente!!
Cidadãos chegando à Câmara...
Vídeo 1 Plenária vazia. Uma hora e meia de atraso. Só vereadores de oposição presentes
http://youtu.be/mr2JMivrMI8
Vídeo 2 Manifestação na platéia http://youtu.be/1FC-9m9h19c
Vídeo 3 Fala de Rafael enfermeiro para a platéia http://youtu.be/lVQ_T5nEHbU
vídeo 4 Manifestação popular http://youtu.be/vvjQGiITFIs
vídeo 5 Manifestação popular  http://youtu.be/DdOyGxX1Hew
vídeo 7 http://youtu.be/eampa25FcY8

Arruda é sempre bom.. mas não adiantou. O requerimento do vereador Renatinho pedindo por Audiência pública não passou...
 Fala Waldeck pedindo pelos professores http://youtu.be/u47TeArhL-M

 Leo Giordano apoiando professores http://youtu.be/0nQ_NOFyf4M

Renatinho... http://youtu.be/ATqTOwxqUi0
Gravação 4 http://youtu.be/e4SHYCC8pW0
Não representa não! Gravação 5 http://youtu.be/a8cZXMvqeX0
Fala Waldeck Gravação 6 http://youtu.be/aHbCffXHL2s
Questão de ordem Waldeck gravação 7 http://youtu.be/_RShpW9Rm8Q
SUS é nosso gravação 8 http://youtu.be/_36t7pZASsI
Fala Renatinho gravação 9 http://youtu.be/qcfPFORd-X4
Fala Leonardo Giordano gravação 10 http://youtu.be/Fyf9tq4-uuc
Fala Waldeck gravação 11 http://youtu.be/aPkXM5A97Q8
Votação audiência Pública gravação 12 http://youtu.be/R8lbZaEcTC4
Fala Leonardo Giordano gravação 13 http://youtu.be/QMVC-QUdFj0
Fala Renatinho gravação 14 http://youtu.be/8EOrwHUdS3I
Gravação 15 http://youtu.be/EJ1Dk0si20M
Tenta falar Vitor Jr. gravação 16 http://youtu.be/FBrpiY0FRcA
Fala C Macedo gravação 17 http://youtu.be/Xpdm4TV4Yn8
 Galerias lotadas!
 
 Recesso até 17h...
 
 
  Ocupa Niterói!!.
Vídeo 9 (removido)
vídeo 10 Fala Rafael http://youtu.be/CQre2ywiPus
Vídeo 11http://youtu.be/h4eT4qtVLEw
Vídeo 12 http://youtu.be/_-P-rCgc1Jo
Mais Ocupa Niterói