quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Niterói Como Vamos / Globo Niterói dia 7/9

Niterói é a 3ª que mais produz lixo por habitante no Estado

Um estudo do Niterói Como Vamos revelou que Niterói é a terceira cidade do Estado que mais produz lixo por habitante. Com 1,23 kg de lixo produzido por cada habitante a cada dia, a cidade só fica atrás de Nova Iguaçu e do Rio de Janeiro.  Álvaro Cysneiros, coordenador-geral do Niterói Como Vamos, diz que é preciso conscientização da população para resolver o problema.

— Nossa proposta é que os pontos de coleta seletiva e os de entrega voluntária sejam reativados, e passem a receber também o lixo eletrônico — diz.

A matéria completa está no GLOBO-Niterói deste domingo (disponível para assinantes no Globo Digital) e revela ainda que a praia de Jurujuba é a única que não apresentou melhores na balneabilidade desde o ano 2000 e que entre 2007 e 2009 houve uma piora na quliadade do ar na Avenida Feliciano Sodré. 
Enviado por Rafael D'Angelo - 07.08.2010 | 15h40m

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Cinco meses após chuvas em Niterói, 4 mil ainda aguardam ajuda de aluguel


05/09/2010 09h00 - Atualizado em 07/09/2010 18h58 Globo


Sequência de chuvas em abril mataram 168 pessoas na cidade.
Sete mil pessoas pediram ajuda de aluguel após ficarem desabrigadas.


Cinco meses após as fortes chuvas que atingiram Niterói, na Região Metropolitana do Rio, muitos moradores ainda vivem em abrigos e de favor em casas de amigos e parentes. O destino ainda é incerto para mais da metade das famílias que tiveram as casas interditadas pela Defesa Civil. A sequência de chuvas ocorrida em abril, considerado o maior desastre do estado do Rio nos últimos 44 anos, matou 168 pessoas na cidade, sendo 47, no Morro do Bumba, local mais afetado pelos temporais.
Um levantamento da prefeitura de Niterói, atualizado em agosto, aponta que das sete mil pessoas que deram entrada para garantir o Aluguel Social, apenas 3,2 mil receberam as três parcelas de R$ 400 para ajudar no pagamento de uma nova moradia. Ainda não há previsão de quando as outras famílias que deram entrada no benefício serão atendidas. De acordo com a prefeitura, o aluguel é pago pelo Governo do estado e foram priorizados os moradores que já tinham o laudo de interdição concedido pela Defesa Civil.
Abrigos funcionam por ordem judicial
Dois prédios desativados de instituições militares, um em Niterói, e outro em São Gonçalo, servem de moradia para cerca de 500 pessoas. Os abrigos montados no 3º Batalhão de Infantaria e no Grupo de Companhias de Administração Militar estão 
funcionando por ordem judicial. Em agosto, representantes do Ministério Público visitaram os locais, onde foram constatados flagrantes de insalubridade. Segundo os promotores, o esgoto corre a céu aberto, as instalações elétricas ficam aparentes e há fios desencapados. Em um dos abrigos ainda há uma piscina abandonada, um possível foco de mosquito da dengue.
Morro do BumbaMorro do Bumba em Niterói. 47 coprpos foram encontradops em meio aos escombros. (Foto: Juliana Rezende / G1)

Neste mês, a 2ª Vara Cível de Niterói, concedeu uma liminar a favor dos desabrigados e exigiu que a prefeitura de Niterói continuasse com os abrigos e com a assistência necessária às vítimas da chuva. O descumprimento da decisão implica em multa diária de R$ 15 mil. As famílias alojadas nos prédios alegam não conseguem alugar casas e apartamentos com o dinheiro do aluguel social. A Justiça exigiu que a prefeitura de Niterói abrigasse as famílias até que elas conseguissem uma moradia definitiva.
No entanto, o governo municipal esclarece em nota que a Lei Estadual que criou o Aluguel Social estabelece que os desabrigados só podem continuar recebendo o benefício utilizando o mesmo para o fim que se presta, ou seja, alugar um imóvel. Apesar da lei, a prefeitura de Niterói garante que todas as famílias que estão nos abrigos continuam recebendo o Aluguel Social.
Multas e brigas entre Prefeitura e Justiça
Além do cenário de tristeza e destruição que assombrou Niterói, as chuvas de abril geraram constantes brigas entre a Justiça e administração municipal. O Ministério Público do Rio propôs, em 20 de agosto, uma ação civil pública por improbidade administrativa contra prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira, e o secretário municipal de Obras José Roberto Mocarzel. Segundo o MP, eles são acusados de descumprir ordem judicial que garante apoio aos desabrigados pelo temporal.
Morro do Bumba: área de antigo lixão
Moradores e estudiosos em geografia afirmam que a tragédia no Morro do Bumba poderia ter sido evitada. Nos anos 80, o local era um lixão. Toneladas de lixo sem nenhum tratamento foram acumulados no terreno ao longo de 15 anos. O local era cercado por catadores, urubus e fumaça, resultado do gás metano que sai do material em decomposição.
Professores de diversas universidades fizeram um mapeamento no local. As autoridades municipais de Niterói haviam já haviam sido alertadas por pelo menos dois estudos da Universidade Federal Fluminense (UFF) sobre o risco apresentado pela ocupação irregular no morro.
O ex-secretário municipal de Integração Comunitária, João Batista de Medeiros Júnior, também enviou à Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Niterói, fotos e documentos que teriam alertado os possíveis riscos de deslizamento no Morro da Caixa d’água, na comunidade Chapa Quente, no Morro do Arroz e na Estrada do Viçoso Jardim, onde fica o Morro do Bumba.
Ainda em abril, o prefeito Jorge Roberto Silveira tentou se defender das acusações de que sabia do risco iminente de um desastre no Morro do Bumba. Em uma coletiva aberta a imprensa, ele alegou que os estudos elaborados pela UFF eram superficiais.
“Não há nenhum indicativo de que aconteceria uma tragédia dessas. Queria muito que tivesse essa informação. Teria evacuado o local e não estaríamos chorando tantos mortos”, disse na época.

domingo, 5 de setembro de 2010

Mais um site interessante: Cidades Sustentáveis

Mais um site que vale, no mínimo!, dar uma olhada...
Mostra boas práticas ao redor do mundo em 12 diferentes eixos temáticos.
O que prova que há soluções... mas é preciso ter vontade política.
Começa assim:

A Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis e o Movimento Nossa São Paulo - organizações apartidárias e inter-religiosas da sociedade civil - desenvolveram a "Plataforma Cidades Sustentáveis", uma pesquisa que apresenta um compilado de múltiplas praticas de sustentabilidade urbana em vigência em diversas cidades do mundo. O objetivo é proporcionar referencias para ações publicas e privadas no Brasil, bem como contribuir com o debate eleitoral e com os programas dos candidatos nas eleições de 2010, a fim de promover maior qualidade de vida nas regiões urbanas.

PLATAFORMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

A Plataforma Cidades Sustentáveis é fruto de uma parceria entre a Rede Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis, o Movimento Nossa São Paulo e a Fundação Avina com o objetivo de inspirar ações de gestores públicos, empresas e outras instituições através de um banco de práticas de experiências bem sucedidas em todo o mundo.
http://www.cidadessustentaveis.org.br/

DesabafosNiteroienses apóia: Uma campanha Transparência Brasil/Rádio Eldorado de São Paulo

Diga não à corrupção
Quando era candidato, Lula assinou com a Transparência Brasil um compromisso de combater a corrupção na raiz. Prometeu montar um sistema de diagnóstico e prevenção abrangendo todo o governo. Cobre do presidente eleito o cumprimento dessa promessa.
Não deixe que a corrupção faça parte da sua vida.
Uma campanha Transparência Brasil. www.transparencia.org.br.

Diga não à corrupção
Você já se perguntou por que a corrupção existe? A corrupção acontece porque a administração pública funciona mal. Antes da eleição, Lula se comprometeu a atacar fundo esse problema. Chegou a hora de cumprir. Faça a sua parte. Cobre do presidente que cumpra a promessa.
Não deixe que a corrupção faça parte da sua vida.
Uma campanha Transparência Brasil. www.transparencia.org.br.

Transparência Brasil

Preocupada com a importância do momento em que vivemos, às beiras de eleições tão importantes...
..Percebendo a ignorância muito grande, minha, com certeza!, e da população em geral, nutrida de informação apenas pela mídia - em geral! - que informa apenas o que quer que saibamos...
..Sugiro que busquem o site Transparência Brasil - "..uma organização independente e autônoma, fundada em abril de 2000 por um grupo de indivíduos e organizações não-governamentais comprometidos com o combate à corrupção.." - que informa sobre o histórico dos políticos; mapa do financiamento eleitoral no Brasil; entre outras informações que podem ser extremamente úteis.

http://www.transparencia.org.br/index.html