domingo, 25 de outubro de 2015

A MÍDIA COMPROMETIDA COM GOVERNOS INTERESSEIROS

Como O Flu é uma mídia que não lemos, comprometida com todos os péssimos governos que vimos tendo nos últimos anos, só ontem, 24.10, vimos matéria que publicada em caderno especial dias 11/12, duas semanas atrás que estava, por acaso, encostado em pilhas em estabelecimento comercial.
E sem mais surpresa nos deparamos com descarada propaganda do Governo Rodrigo Neves carente de veracidade, para variar.
Basta ler o primeiro parágrafo e com a primeira mentira para sequer ter vontade de ler o resto.
"Para tornar Niterói uma cidade mais sustentável, a nova (NOVA?!) gestão da Prefeitura vem tratando o uso da bicicleta como meio de transporte como uma prioridade". 
Mentira. Mentira deslavada.
Quem pedala nesta cidade sabe, e ouvimos e lemos constantemente depoimentos de MUITOS ciclistas de Niterói só reclamando dos "ditos" feitos. Só quem diz 'Maravilha' são depoimentos em matérias pagas da Prefeitura. As vias não oferecem a menor segurança aos ciclistas e posam de bons moços, enquanto inconsequentemente incitam a população a pedalar mais. Onde?! Em ciclofaixas com 90 cm de largura, em mão dupla? Sobre as calçadas irregulares disputando espaço com pedestres, passando em pontos de ônibus entre os coletivos e os pedestres, jogando um contra o outro?
Gastam absurdos em verba pública em propaganda ao invés de aplicar de verdade em melhorias para o ciclistas e pedestres.
Citam a falsa Campanha de Conscientização, exigida por grupo de ciclistas, que manipulada, se tornou peça publicitária de mau gosto, fraca e que não atende aos interesses reais da população. Quanto foi gasto nos banners que quebraram em menos de uma semana? Que significa frase de efeito duvidoso e de mau gostos como "feito por você" ou mentindo que faziam uma cidade para pessoas? Onde nas vias, onde há ciclovias ou ciclofaixas, existe indicação a todos que usam a via (pedestres, ciclistas, motoristas em geral) de quem é a preferência no trânsito em cada situação, para quem segue ou para quem vira à esquina (chamada conversão)? Quem parte do O Fluminense há indicação e destaque sobre lei de trânsito, trazendo à tona e à educação do niteroiense regras de bom convívio nas vias?
O resto da Caderno prossegue falando em pseudo maravilhas que duvidamos da eficácia. Um enorme endividamento público, que Rodrigo deixa para seu sucessor sem um plano de mobilidade que justifique as siglas BRT, BHLS, VLT que só diz que vão resolver os problemas. O enfoque é pontual. O enfoque não abrange a Zona Norte. O enfoque não faz menção ao ISS cobrado dos empresários de ônibus, que poderia voltar a ser cobrado, pelo menos, o mínimo exigido em lei, e não menos do que isso como ocorre hoje em dia; nem que o Bilhete Único terá seu prazo de utilização ampliado ou oferecendo benefícios para a população ao invés de apenas beneficiarem os empresários de ônibus. Contrariamente, continuam incentivando mais e mais construções na cidade. Sem água e sem mobilidade, como permitir crescer tanto?
Niterói virou mercadoria que está sendo vendida a alto preço para o mercado imobiliário. À população de Niterói? Nada! Aos amigos empreiteiros e empresários, TUDO!
Chega.
Quando a população, farta, vai se erguer de fato, além das redes sociais contra os maus e indevidos usos de seu nome para propaganda eleitoral antecipada? Alguns grupos vem fazendo sua parte. Devemos parabeniza-los e divulgar muito seus feitos. Mas MUITO mais ainda é preciso. Só a pressão da população, que não aguenta mais que mintam em seu nome, poderá banir para sempre políticos mentirosos e descomprometidos dos interesses reais da população.
Vamos ocupar as ruas. Vamos de bicicleta, vamos a pé, exigir respeito. Exigir transporte público eficiente e de qualidade para que mais carros possam ficar parados em casa. Exigir comprometimento e dar um basta em planos falaciosos que só enganam a população. Chega de lorota!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!