quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Agora que a Inês é morta, vamos fazer só campanha, né Jorge?!

Absolutamente surpreendente a atitude da administração de Niterói...
Anacrônica e oportunista!!..
Veja íntegra da matéria d'O Globo mais abaixo.

Pesquisas informais vem indicando uma boa rejeição ao atual prefeito, que fez absolutamente N-A-D-A por Niterói em seus últimos 3 anos de governo, e vem agora tentar 'ressuscitar Inês'... Posar de herói, salvador da pátria.


Nada, como assim? 
Jorge Roberto Silveira assumiu em 2009, e naquele ano só fez plano de metas; em 2010 o Bumba caiu e Jorge junto, inoperante.. ; em junho assinou mega desapropriação no Sapê, de uma área do tamanho do Jardim Icaraí e Icaraí juntos, supostamente para construir para todo o déficit habitacional do município (sic!), e que um ano depois se retrata dizendo que o perímetro traçado estava errado... uma leviandade com o destino daqueles cidadãos..! - cuidado leitores, essa história da Fazendinha ainda não acabou não.. - e em 2011, além do Bilhete Único, presente de Natal antecipado aos empresários de ônibus, à tentativa desastrosa de aprovar o Bairro Modelo no Sapê, tenta aprovar Centro Expandido, projeto que é abortado como um "equívoco lamentável e imperdoável", junto com a secretaria de planejamento.. 

A discussão democrática das Organizações Sociais não é planejada quando colocada em pauta para votação em meio a período de festas de fim de ano. Reiteradamente a audiência pública é negada, para ter aprovação segura, secreta e sinistramente, ainda que com Câmara lotada e solicitação pública ignorada; passagens de ônibus são aumentadas além da inflação em apenas 9 meses; IPTU aumentado.. assim fica difícil se elevar nas pesquisas, mas se perder, há uma 'boa e generosa compensação' garantida!
Isso sem contar a greve dos professores ignorados pelo prefeito, embora descontados seus dias em greve; o corpo de ballet da cidade destituído; o programado sucateamento da Saúde municipal, uma tática vil para o 'salvador da pátria' enfiar as OS's goela abaixo; o golpe do Caio Martins - olhos bem abertos porque esse caso também não está fechado.. e o Cinema Icaraí, cedendo à forte pressão popular, porque para ele, cinema é em shopping!!, mas para não ter que 'engolir a drágea sem água', libera - por fora - uns 6 milhões para o amigo empreiteiro.

E agora a medida 'energética', aff!.., ainda que atrasada no mínimo em 4 anos!, para buscar agradar (sic!) seu escasso eleitorado ou recuperar alguns incautos, masoquistas de plantão.
Às obras já licenciadas nada acontecerá.. resta saber quantas obras já foram licenciadas nesta área, para se ter mais acurada percepção do grau de demagogia do ato.. Quantas casas restarão?
Suspende os licenciamentos no Jardim Icaraí, saudosa Santa Rosa!... mas e São Francisco? E Charitas? Ingá, com uma verticalização assustadora? E Pendotiba, ocupada e verticalizada rapidamente e sequer PUR tem?!. E Camboinhas?!.. (a propósito, ver matéria sobre empreendimento Oásis: o deserto! em: http://www.desabafosniteroienses.com.br/2012/01/e-ai-prefeito-que-tal-estancar-as-obras.html)
"Não podemos cometer o mesmo erro que foi feito em Icaraí - afirmou o prefeito Jorge Roberto Silveira (PDT), (..) " 
'Não podemos' quem, cara pálida?!.. 
Em outubro de 2007, o então vereador Paulo Eduardo Gomes, encaminha Projeto de Lei à Câmara que jamais foi analisado sequer pela douta comissão de Constituição e Justiça, presidida pelo nobre edil Rodrigo Farah.

Aos esquecidos lembramos que, desde 2007 a população já assistia atônita, e impávida!, a degradação das condições de circulação na cidade. Mas ainda não o suficiente pelo menos para 60.8% dos eleitores, que elegeram Jorge em primeiro turno em 2008...  
A matemática não era difícil, mas o logro grande!...
Afinal, se foi votado um PUR que favorecia escancaradamente a especulação imobiliária na cidade, também era óbvio desde então que com o aumento dessa demanda incentivada, não apenas pelas facilidades obsequiadas aos construtores, mas associada ao falso alardeamento das qualidades de vida na cidade, além de outros fatores como por exemplo a instalação do pólo petroquímico em Itaboraí, caberia de 2002 em diante às principais alianças administrativas na cidade, PT-PDT, a tarefa - no mínimo compensatória à expoliação extensiva! - de cuidar, planejar, articular estratégias que viessem a dar conta do estado de calamidade que assistimos hoje. 

Falar agora em 'erro', cara pálida, é no mínimo ridículo. Ou chamar o cidadão de idiota.
"Uma cidade democrática e para todos, que é o slogan da propaganda oficial, é aquela que garante a existência de infra-estrutura adequada a tantos quantos nela morem, quanto àqueles que nela venham a morar, atraídos pela sua alardeada qualidade de vida. A oferta de serviços públicos essenciais é e continuará sendo fator prioritário para a manutenção e melhoria permanente daquela qualidade de vida. (..)" Paulo Eduardo justifica seu projeto de lei de 2007.
Os PUR's- Plano Urbanístico Regional, sendo que o da Região Oceânica foi votado a portas fechadas, deveriam ter sido revistos a partir de maio 2007, conforme indica a legislação. Isso a quatro anos atrás... Algumas áreas do município sequer PUR têm!!

Todos os governos municipais de Jorge a João Sampaio (ambos PDT), Godofredo (PT) e voltando a Jorge, nunca deram a mínima atenção ao evidente inchaço que vinha se configurando e com mais impacto após o malfadado PUR... Com anuência de Comte e diversos outros, que hoje se fazem de 'assombrados' e desgostosos com a situação atual e posam de oposição...

A prefeitura de Niterói não possui corpo técnico nem suficiente nem preocupado em diagnosticar, estudar, planejar, prever, menos ainda em solucionar nas bases as questões urbanísticas da cidade. As secretarias 'funcionam' - força de expressão! - propositalmente sem articulação entre si. 
O tecido urbano é considerado como retalhos estanques que não compõem um todo; a população de renda mais baixa fica à margem, a sobra da malha urbana que não interessa à especulação imobiliária. O pouco que se arvora são arremedos de soluções. Pontuais e estratégicas maquiagens, 'molho'!, no linguajar dos desenhistas arquitetônicos.. levado a um conselho, meramente consultivo, que ainda que esperneando, corrobora, quando adiante em audiência pública diz-se que determinado material 'passou' no Compur.

Propostas eleitoreiras, iniciadas nos derradeiros minutos do segundo tempo desse jogo já comprado pela prefeitura desde 2002..e perdido pela população. Mas em face das eleições daqui a 9 meses essa mesma população desprezada volta agora a ser alvo de atenções e cuidados...
E aos desabrigados que vão comemorar em abril próximo 2 anos de 'nova residência' no 3o. BI, algum coelho saindo da cartola mágica?

Promessas fugazes são feitas, obras anunciadas à guisa de ludibriar e dar um alento à população, um fôlego, pelo menos até outubro de 2012.. 
Depois disso, seja o que deus quiser!!
Em uma só palavra? 
Hipocrisia.


Estanque nos espigões: suspensos licenciamentos no Jardim Icaraí - Prefeitura suspende obras no Jardim Icaraí até que o PUR seja discutido na Câmara dos Vereadores - n'OGlobo Renato Onofre em http://oglobo.globo.com/rio/niteroi/estanque-nos-espigoes-suspensos-licenciamentos-no-jardim-icarai-3665018
O prefeito Jorge Roberto Silveira (PDT) suspende, temporariamente, o licenciamento de novas construções no Jardim Icaraí. A determinação será publicada no Diário Oficial, na próxima terça-feira, e fica em vigor até que o novo Plano Urbanístico Regional (PUR) das Praias da Baía seja apresentado e aprovado na Câmara dos Vereadores. Com a determinação, ficam suspensos os empreendimentos multifamiliares ou comerciais com mais de cinco pavimentos.
-Achei mais prudente suspender todo novo licenciamento para prédios de grande porte na região conhecida como Jardim Icaraí até que possa ser discutido o novo PUR. Não podemos cometer o mesmo erro que foi feito em Icaraí - afirmou o prefeito Jorge Roberto Silveira (PDT), afirmando porém, que ainda há como ocupar a região de forma sustentável .
Estão suspensos novos prédios no polígono entre a Avenida Roberto Silveira e a Rua Geraldo Martins e da Rua Paulo César à Avenida Ari Parreiras. Ruas como a Ministro Otávio Kelly, Nóbrega e João Pessoa serão afetadas pela determinação da prefeitura.
Segundo a secretária de Urbanismo, Christina Monnerat, as obras em curso e os pedidos de licenciamentos que estão em análise pela prefeitura não serão afetados pela nova regra. 
-Estamos em fase final de estudos do PUR e das intervenções do projeto (de trânsito) Lerner  no bairro. Além das mudanças viárias, vamos apresentar um programa de reurbanização dessas ruas focado na acessibilidade.
Segundo a secretária, o novo Plano Urbanístico Regional das Praias da Baía vai ser apresentado à população em março, na Câmara dos Vereadores. A proposta chega cinco anos atrasada. Criado em 2002, o projeto previa uma revisão em 2007 que nunca aconteceu.
-Estancamos o processo para avaliarmos melhor os impactos na região. Em seguida, vamos discutir com a sociedade o que queremos para Niterói - concluiu o prefeito. 
A prefeitura, diz Christina Monnerat, estuda se há necessidade de se estender a medida a outras regiões da cidade que ainda não tiveram PUR revisto. 
A discussão sobre novos parâmetros urbanísticos na cidade retornou à cena no final do ano passado, quando foi apresentado um esboço do projeto que criava os Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs). Na época, um argumento usado tanto por representantes da sociedade civil quanto das construtoras era que os Cepacs, que permitiam construções acima do gabarito por meio de compensação financeira à prefeitura, não poderiam ser criados antes da discussão do PUR.
Prefeito proíbe novas construções residenciais de grande porte no Jardim Icaraí http://oglobo.globo.com/infograficos/icarai-decreto-ruas/

O decreto do prefeito Jorge Roberto Silveira que proíbe novas construções residenciais de grande porte no Jardim Icaraí engloba o quadrilátero que vai da Avenida Roberto Silveira à Rua Geraldo Martins e da Rua Presidente Backer à Avenida Ari Parreiras. Quinze ruas serão afetadas: Avenida Roberto Silveira; Ministro Otávio Kelly; Nóbrega; João Pessoa; Geraldo Martins; trechos das transversais Presidente Backer, Lopes Trovão, Herotildes de Oliveira, Miguel Couto, Domingues de Sá, Cinco de Julho, Mariz e Barros, Sete de Setembro e Francisco Dutra; e a Paulo César, entre as ruas Dionísio Erthal e Arídio Martins. A nova legislação começa a valer a partir desta terça-feira, quando a decisão será publicada no Diário Oficial. As obras em andamento não serão afetadas
Pressão na Justiça
As pressões para que o município reavaliasse o ritmo da expansão vertical na região do Jardim Icaraí não vêm de agora. Em novembro do ano passado, a 6a. vara cível já havia determinado a suspensão de novas licenças para construção de prédios residenciais multifamiliares de grande porte, pelo menos, até a apresnetação de um Estudo de Impacto de Vizinhança.
A decisão foi favorável a uma Ação Civil Pública, movida pela Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural, do promotor Luciano Mattos. Segundo o inquérito, apenas um empreendimento havia entregue os estudos necessários. No texto da decisão, a juíza Perla Lourenço Correa citava  "o impacto negativo que o imenso número de construções no local tem acarretado à população".

7 comentários:

  1. Cada vez que esse cara pálida e venhamos e convenhamos pálida mesmo, pronuncia algo em prol da nossa cidade, cai por terra , mais alguns mil votinhos que ele teria ,,,, podem ter certeza disso..... além da psicopatia já diagnosticada ele não faz mais ninguém de bobo.... A credibilidade de JRS já foi afetada e muito.... é melhor mesmo começar a aparecer na cidade para que tenha pelo mínimo a dignidade e se fazer presente para tentar se reeleger,,,,, mas na realidade tô gostando quando ele fala.... fala mais bobagem ai senhor CARA PÁLIDA!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Cara pálida, não?!... cara polida é melhor: "Não podemos cometer o mesmo erro que foi feito em Icaraí..." Cumá?? Pare de mentir... parece o Mantega.

    ResponderExcluir
  3. A prefeitura não possui nem corpo técnico e muito menos membro técnico, no máximo corpo em deterioração, tal o estado cadavérico da pretensa administração. Deveriam ter a humildade de reconhecer sua incapacidade e buscar parceria com a UFF e seus institutos qualificados (FAU, por ex.) para buscar minimizar o descalabro que promoveram. Não gastaram uma fortuna com o escritório do Lerner? Mais eficiente e benéfico seria aproveitar os profissionais da cidade (altamente qualificados, repito). Recursos é que não faltam, faltam caráter e honestidade!

    ResponderExcluir
  4. Não é por incapacidade que a prefeitura não tem staff, nem é questão de humildade... o que falta é interesse mesmo, vontade política.. eles tem o mínimo necessário para minimamente 'tocar' a secretaria e parecer que algo 'bom' (digo: para o bem da coletividade) é feito...
    Editores DN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será? O minimamente para tocar a secretaria seria a duplicação de estradas e ruas, com erros de projeto como a Caetano Monteiro e Francisco Cruz Nunes onde duas ou três faixas de rolamento se afunilam para uma, curvas com raios e inclinações erradas, falta de retornos e sinalização precária? Pra mim parece incompetência mesmo, até prova em contrário. Enquanto isso secretários duvidosos permitem aumento de gabaritos e construções que ferem a própria legislação da cidade para defender interesses próprios e de empresários "amigos". Todos sabemos a até o presente momento estamos incapazes de mudar a situação.

      Excluir
    2. Não percamos a esperança..as eleições vem aí!!! e podemos virar esse barco depois de 20 anos à mais completa deriva!!

      Excluir
  5. Esse povinho de Nicteroy não aprende mesmo! Vota nessa anta, sempre e depois reclama. Vota novamente nele e torna a reclamar. Daí o cara(Jorginho pros íntimos/cegos) vai passar uns tempos em seu barraco em Miami e/ou Arraial do Cabo, volta com a focinha mais sínica do mundo, se candidata, ganha mais uma vez a eleição às custas de seu sorrizo demagogo, sua música chiclete, seus botons, camisetas, bonés, abraços e crianças pegas no colo, e o povo torna a reclamar. Fazer o que né? São os nicteroyenses que pedem esse castigo!

    ResponderExcluir

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!