sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012! O que fazer além de torcer e sonhar?

por Paulo Eduardo Gomes*, sábado, 31 de Dezembro de 2011 às 18:21(texto postado no Facebook)
2012 - O ANO DOS 3 EM 1
     Foi desta maneira que o Prefeito aultista JRS se referiu as suas esperanças de fazer com que o último ano de seu atual desgoverno, 2012, reverta a imagem desastrosa que está na cabeça de mais de 80% da população de nossa cidade, desde que ele, voltando de Miami, voltou a (des)governar a cidade a partir de janeiro de 2009. Cento e sessenta mil eleitores, dentre os quais cerca de 100 mil das classes rica e média, deram a ele o seu 4º mandato, que muito cedo se transformou em pesadelo para todos, pobres ou não, de nossa cidade.
     Para além do episódio das mortes nas chuvas de abril de 2010 em que veio a público para cinicamente afirmar que não sabia da existência dos riscos no Lixão do Bumba, passando pela degradação dos serviços públicos de educação e saúde e culminando pela desavergonhada e criminosa autorização de enormes prédios na cidade, sem o respectivo investimento prévio na infra-estrutura do sistema viário e na mobilidade urbana, este (des)governo opera funciona bem para quem enriquece às custas da cidade, seus amigos e sócios, em detrimento da qualidade de vida das pessoas, de todas as classes sociais, que aqui escolheram viver e trabalhar.
     No episódio do Bumba mentiu descaradamente: o aterro fora fechado pelo governo de Waldenir de Bragança em 1987 e protegido de ocupações até o início de 1989. Com a assumpção do PDT ao governo do Estado em 1991, segundo governo Brizola, Jorge e seus aliados, irresponsavelmente, conseguiram que o governo estadual lá implantasse o Projeto "Uma luz na escuridão" da antiga CERJ e que a CEDAE lá instalasse uma enorme caixa d'água para alimentar as cisternas dos "sem tetos" que para lá foram atraídos pelas benfeitorias. Como pode o governante que de 1990 em diante estimulou a ocupação, negar em 2010 que soubesse da existência de lixão?  Contabilizados os desabrigados do Bumba e das demais localidades, até o final deste ano de 2011 nenhuma moradia popular foi construída especificamente para eles e os recursos do "aluguel social" e de "conteção de encostas" sairam todos do governo estadual. Nenhum centavo dos quase R$ 1,5 bilhão do orçamento de 2011 saiu para abrigar os desabrigados. Onde foram gastos? Só o prefeito, seu super secretário de obras, Zeca Mocarzel, e seus sócios podem responder. O olhar social para as necessidades de uma Niterói com qualidade de vida foram jogados na lata do lixo. A prova disto foi dada recentemente quando, para além de tramar às escondidas contra a população, tentou trair as próprias construtoras da cidade, representadas pela ADEMI, vendendo as terras edificáveis da cidade,incluindo áreas ainda virgens como Pendotiba, para a empreiteira Andrade Gutierrez. Estava por trair a todos que até recentemente financiavam as suas campanhas. Tal manobra, imediatamente denunciada pelo movimento social representado no Conselho Municipal de Política Urbana - COMPUR; o CCOB, a universidade, nós do PSOL e pela própria ADEMI, levou à demissão do Secretário de Planejamento, Euclides Bueno, e, para queima de arquivo, à extinção da própria Secretaria de Planejamento, com a desculpa de que se cometera um "equívoco imperdoável". Na realidade Jorge Roberto Saad da Silveira sabe que para vencer a rejeição que ele encontra nas ruas, para além daquela do Restaurante Gendai da região Oceânica, precisará de muitos recursos. Recursos muito superiores do que seus tradicionais financiadores podem, sózinhos, continuar fornecendo.
    Para JRS e seus sócios tudo precisa ser feito para fortalecer a rapinagem dos recursos públicos da cidade, para tentar uma nova vitória nas urnas, custe o que custar. De duas, uma; ou ganham um novo governo para a continuidade da rapinagem ou, na iminência de perdê-lo, se tornam sócios de todas as atividades rentáveis da cidade através do assalto aos recursos públicos formados pelos impostos que pagamos. Privatizaram as atividade da CLIN no ano de 2011 alegando, entre outras razões, que o governo gastaria menos com a privatização. Com o consentimento de uma Câmara de Vereadores ignorante e omissa, a Lei Orçamentária 2012 prevê muito mais recursos para a CLIN do que se gastava antes da privatização. Mas não basta apenas a CLIN privatizada para tirar mais recursos do tesouro municipal. Afinal de contas, se mais de 70% da população de Niterói tem Planos de Saúde e educam seus filhos em escolas particulares, porque deixar toda esta grana (25% - educação e 18% - saúde) na mão do governo? Contando com a criminosa cumplicidade de uma Câmara de Vereadores omissa e subserviente, comportamento da esmagadora maioria de seus membros, o (des)governo JRS mandou Projeto de Lei em 22 de dezembro, dois dias antes do Natal, para que fosse aprovado custasse o que tivesse que custar, legalizando a possibilidade de que recursos do tesouro possam ser repassados para a iniciativa privada, através das chamadas Organizações Sociais - OS. A sociedade civil, chamada de baderneiros pelo Presidente da Câmara Paulo Bagueira Leal, se mobilizou para impedir tal assalto aos interesses públicos da cidade e ocupou o Plenário da Câmara Municipal no último dia de votação (29/dez) em duros protestos contra o Projeto de Lei. Como a ordem era aprovar de qualquer maneira, Paulo Bagueira, após requisitar a presença da Polícia Militar, aprovou o projeto das OS, às escondidas, no Auditório da Câmara. Um vereador esteve ausente (Gallo) . Renatinho, Leonardo Giordano e Waldeck Carneiro, presentes, se negaram a participar da votação sem a presença do povo. Os demais 13 vereadores votaram a favor deste vergonhoso projeto. Alguns dos vergonhosos argumentos usados para aprovação do projeto já circulam nas redes sociais.
      Enfim, muita gente em nossa cidade quer mudanças de rumo. As pesquisas privadas, mandadas fazer por quem têm recursos para tal, indicam profunda vontade de mudar. Nós do PSOL também temos vontade e sonhos de mudança. Nosso dirigente estadual Honório Oliveira nos lembrava há pouco aqui no Facebook, um texto de Lênia acerca dos sonhos:

"É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com nosso sonho, de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Sonhos, acredite neles." Lênin

      Concordamos que é preciso sonhar com mudanças, sim. Acreditamos, entretanto, que elas só ocorrerão em nossa cidade se, além dos cerca de 160 mil eleitores que acreditaram em Jorge Roberto da Silveira em 2008, todos os homens e mulheres de bem desta cidade quiserem tomar em suas mãos a construção de uma Niterói mais humana, mais justa e solidária. Niterói não será mudada de verdade se as prioridades form mantidas. Não basta se opor a Jorge Roberto e rejeitá-lo nas pesquisas. É necessário refletir sobre o significado deste modelo de cidade, as conseqüências negativas deste modelo e, PRICIPALMENTE, quem apoiou JRS e este modelo de cidade durante os últimos 23 anos.

     Nós do PSOL estamos dispostos a sonhar e construir uma Niterói melhor para nós, nossos filhos e netos. Não pouparemos esforços para, com princípios republicanos e sem preconceitos, construir com a sociedade um Programa Movimento que planeje, no tempo e espaço, o futuro que todos queremos.

    Que se juntem a nós todos que desejarem tais mudanças.

   Feliz 2012!
   *Paulo Eduardo Gomes, 61 anos, engenheiro e militante do Partido Socialismo e Liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!