sexta-feira, 15 de julho de 2011

O que a Prefeitura de Niterói tem feito pelos pescadores de Itaipu?

Descarte de Porto do Rio afetando pescadores em  Itaipu
Enviadas: Sexta-feira, 15 de Julho de 2011 10:25:03
Assunto: LIXO NOS OCEANOS


Prezado Sr. Ian,
sou amigo do Sr. Almeida do I.C.I. Ele disse-me sobre suas dificuldades e seu trabalho aí no Amazonas e, que pretende utilizar textos da matéria que escrevi.
Envio cópia de emails de uma discussão que começou  num grupo de trabalho da Unidade de Conservação Das Ilhas Cagarras no Rio de Janeiro, preocupados com os descartes da sujeira retirada de um porto no interior da Baía de Guanabara nas proximidades do Cajú  (local extremamente poluído).
Os descartes continuam em ritmo acelerado como nunca percebemos antes, causando revolta nos pescadores de nossa Colônia.
Envio parte do material nos anexos juntamente com LINKS dos filmes que realizei.
Espero poder ajudar em sua palestra no Forum em SÃO PAULO. Possuo também uma cópia da Audiência Pública pós Descartes e, originais protocolados das denúncias.
Fui chamado na Polícia Federal para explicações sobre a Denúncia em pauta e pretendo dar mais informações, pois, as dimensões do dano são infinitamente maiores . Escrevo em nome de vários profissionais da pesca que dependem do meio ambiente para sobreviver, de uma população que poucas opções de lazer possuem e em defesa de nossas praias oceânicas.
Fui convidado ontem para uma conversa formal com o Presidente da FIPERJ (Marco Botelho) que me apresentou um documento assinado pelo Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) Sr. Domenico Acceta, onde apresenta uma análise probatória  por FREDSOE e DEIGAARD (1994), baseadas em uma fórmula capaz de calcular a velocidade crítica (Ucrit) para a movimentação do sedimento superficial de fundo, em função da profundidade e da granulometria em um certo local, onde imediatamente percebi que as variáveis apresentadas não contemplavam as variações das grandes marés e ondulações oriundas das ressacas provenientes de modificações climáticas . Solicitei cópia daquele documento juntamente com um parecer da oceanógrafa e Coordenadora de Pesca Marítima daquela Fundação, Sta. Francyne C. Vieira, para uma análise comparativa direcionada as denúncias que encaminhei e oportunamente encaminharei ao Ministério Público Federal para apreciação.
No mais estou à inteira disposição.

Atenciosamente,

Otto Sobral.

P.S.: No anexo 1º pág. 36 houve um erro de impressão por parte do editor: onde está escrito RESERVA DO AVENTUREIRO, leia-se RESERVA DAS CAGARRAS.

original da denúncia.
WAGNER MONTES:
r7
despejo ilegal resíduo.
O fluminense.
CCRON.
r7
despejo ilegal entulhos.
r7
resíduos de dragagem.
 
E em 2010:

RESPOSTA AO DESPEJO DE LIXO NOS PARCEIS SEDIMENTARES DAS ILHAS DA MENINA, MÃE E PAI
De:
MARÇAL MELLO
Para: OTTO SOBRAL 

É muito fácil pegar a pesca submarina atribuir a ela o aumento da temperatura global e pronto. Basta ter um diploma e fundar uma ONG qualquer com um nome bem bonito.
Estão todos discutindo como maquiar o efeito da doença. As causas estão na nossa frente e não queremos ver, ou não vemos por pura acomodação. É muito mais fácil falar mal de meia dúzia de pescadores submarinos que, todos juntos e em um ano, causam um dano à natureza menor que um minuto de esgoto jogado na baia de Guanabara.
Cadê a despoluição da Baia de Guanabara???
Pesquei muitos anos nela. Posso testemunhar que a "zona morta" aumenta a cada segundo. Só sobrevivem nela animais mais resistentes e que vivem na lama, assim mesmo com um grande nível de contaminação por metais pesados e outros agentes. A falta de luz, o excesso de algas e a aterramento provocados pelo esgoto estão acabando com o que deveria ser o berçário da vida marinha da região.
Nos pontos onde a lama fétida provoca problemas aos interesses financeiros, como nos portos e rotas marítimas, é retirada e jogada debaixo do "tapete". A lama, que na teoria não poderia ser lançada em lugar nenhum do mar antes de uma análise de contaminação, e se assim fosse autorizada, deveria ser lançada a uma profundidade onde não prejudicasse a flora e fauna marinhas, começa a ser derramada na "boca da barra" e no entorno da ilha do pai, cotunduba, rasa e cagarras. Quem determina isso é o poderoso interesse financeiro, que não quer gastar combustível e tempo para levar a lama até uma profundidade onde não cause danos.
Cadê os defensores da natureza para fiscalizarem o despejo????
Convido os críticos da pesca submarina a fazerem comigo um passeio turístico no interior da baía. Convido a passar pela Niterói-Manilha e não fechar os olhos e ver a falta de saneamento do entorno da baia. Não somente pela natureza, mas principalmente para ver as condições em que vive um animal que merecia mais o nosso respeito. Um animal que está sendo degradado por outros da mesma espécie. Um animal cujos filhotes já estão acostumados com odor fétido da baia de Guanabara, brincam nas suas águas e até comem seus peixes contaminados. Esses deveriam ser os primeiros a serem salvos, não deveríamos deixar nossos irmãos viverem naquelas condições.
Ver uma ilha de Paquetá jogada às moscas, cercada por águas onde o banho é proibido é um crime!!!
Resumindo, se pegarmos uma foto da baia de Guanabara, com  cheiro e bem de cima, diríamos que não passa de uma grande privada!!
Aí eu pergunto aos pseudoecologistas o que eles tem contra a pesca submarina se é a pesca mais seletiva que existe??
Se eu capturo um peixe é porque ele foi escolhido "à dedo". Se fosse como em outras modalidades de pesca, no arpão teria que vir o peixe que consegui capturar e também mais uma centena de peixes que eu não queria. Dessa centena eu jogaria fora pelo menos 40 peixes, venderia para "farinha" uns 30, venderia barato uns 20, e por fim agradeceria os 9 que vieram sem que eu mirasse neles.
Há, mas é uma covardia com os peixes!! Argumentariam os desinformados. Faço outro convite: Vamos sair para pescar! Se fosse assim tão fácil eu não teria mudado de profissão. É muito sofrimento, quando não acontece um acidente. Normalmente se vê vídeos de pesca em condições ideais para o mergulhador e ficamos com uma idéia errada. A pesca não é bem assim. Sugiro a quem ainda pesca fazer alguns vídeos com os sofrimentos também. Um dia de lestada com águas de 12 graus em saquarema, uma volta contra um sudoeste, um mês inteiro sem condições de pesca devido a visibilidade da água, e todos os sofrimentos que passa um pobre pescador submarino.
Não bastasse esses sofrimentos vem umas pessoas que não sabem de nada e tentam fazer do pescador um bandido!!!
Admiro esses heróis que além de insistirem em viver da pesca ainda tem que lidar com esse tipo de caracterização feita por levianos.
abraço a todos;
MARÇAL MELLO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!