domingo, 26 de junho de 2011

Fala, Niterói: Obras da UFF

Publicada n'OGlobo Niterói impresso de 26 de junho de 2011, esta carta  não consta de sua divulgação online. Assim publico-a considerando fundamental esta colocação.

"Em relação à reportagem sobre a paralisação das construções da UFF, pergunto-me se a prefeitura já não  sabia da existência desse projeto de expansão do campus, já que qualquer aluno da UFF sabe de um projeto assim desde que a UFF chegou ao campus Gragoatá. É muito estranho que a prefeitura tente embargar as obras exigindo estudo de impacto na vizinhança, suspeitando da piora da qualidade de vida dos moradores próximos, enquanto no mesmo local ergue-se um condomínio residencial grande, cuja existência, aí sim, causará impacto. Pergunto-me também se de todas as construções (e são muitas!) que se erguem na cidade fizeram algum estudo para avaliar o impacto ao redor. A expansão da UFF está prevista há 20 anos, e o atual reitor tem feito um excelente trabalho. A prefeitura é que deveria ser mais proativa e ser parceira da UFF, aproveitando uma das melhores universidades do país para trabalhar em prol da cidade e de seus moradores, que devem bastante à universidade. Duvido (porque já procurei, sem encontrar) que a prefeitura tenha algum tipo de avaliação habitacional da cidade como um todo, e um estudo desde sua expansão acelerada e desregrada, principalmente no setor imobiliário. Será que é porque na UFF a prefeitura não ganha nada das construtoras? Por que cismou com a universidade?" Leonardo Valverde

2 comentários:

  1. esgoto a ceu aberto em Niterói. Estrada velha de Maricá, proximo a Estrada Amaral Peixoto, rodovia rj 116. Oesgoto corre pela estrada, contaminando quem anda nela. J'a acontece há muito tempo, ninguém toma providencia. Muitas pessoas com diarreia.
    romero Cunha , Varzea das Mocas.Itaipu, Niteroi.








    E

    ResponderExcluir
  2. Em Niterói, na conhecida Praia das Flechas, um bando de moradores de rua estão tomando conta dos abrigos formados em baixo do calçadão da rua. O número de pessoas aumenta dia a dia, agora com cachorros, madeiras e cortinas (improvisadas). As autoridades deveriam tomar providências, seja levando os invasores para abrigos, seja colocando pedras, como já existem sob o viaduto do ponto Cem Reis. A coisa já está fugindo ao controle e em pouco tempo não vai dar mais para segurar a invasão.

    ResponderExcluir

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!