quarta-feira, 29 de junho de 2011

Bilhete Único é uma farsa! Prefeitura de Niterói ludibria para ganhar votos.

Onze horas e vinte minutos. Plenário da Câmara vazio. Chega Emmanoel Sader, o homem forte de Mocarzel.  Aos poucos vão aparecendo uns gatos pingados nesse difícil horário feito especialmente para a população trabalhadora NÃO comparecer. E se dizer que HOUVE SIM a Audiência Pública. Preside a sessão o sr Beto da Pipa.
Dado o absurdo do recesso, tudo deverá ser votado às pressas hoje às 17h.

A fundamentação apresentada pelo sr Emamnoel Sader chega às beiras da piada ao indicar que o bilhete único favoreceria a população, assim como redução de poluição e redução na lentidão do tráfego.
Não entendi o que tem a ver o cu com as calças. Também não tive oportunidade de perguntar...
Continua afirmando que o município não daria subsídio direto às empresas de ônibus e que a previsão é de implantação do sistema até 30 de novembro do ano corrente. Maiores detalhes a serem obtidos em fala posterior com o subprocurador Dr. Péricles. Há sugestão também que ambos projetos de lei sejam votados juntos dado sua complementariedade.

Diversos membros da sociedade civil se manifestam, como Sr Heitor Porto, sr Azevedo e Dr Manoel Martins, ambos do CCOB, além de membros do legislativo e assessores e representante da UEE, que lembram a importância da manutenção da meia passagem para estudantes.
Resumindo, mostram que os artigos 6o e 7o do projeto de lei não são claros sobre o uso de apenas 2 viagens por dia, com um tempo mínimo de 3 horas entre elas; o PL torna o uso do bilhete único obrigatório aos idosos, contrariando assim a lei orgânica do município que garante gratuidade aos mesmos apenas com apresentação de identidade; e ressalta-se a inconstitucionalidade da redução da alíquota de 2% para 1%, embora tenha o senhor Emmanoel Sader dito que não haveria subsídio direto. Ora, ora, ora..querem enganar quem?!
Os PL's foram encaminhados à Câmara sem que houvesse tempo cabível para discussão em vereadores, estes em seus gabinetes e com a população. No entando será votado esta tarde...
Ainda que vereadores e assessores tenham solicitado seu adiamento para aprofundamento das discussões em torno de tema tão importante onde aparenetemente beneficiaria a população.
Ha, ha, ha.
Ninguém na Câmara, nem a ala governista, nem a esquerda são contra o Bilhete Único. O que for votado precipitadamente hoje, deverá ser levado posteriormente ao Judiciário e ao Ministério Público para maiores averiguações.
O benefício à população é mínimo quando comparado ao dos empresários com a transação. Na realidade apenas aqueles que necessitam pegar 2 ônibus para chegar a um só destino serão beneficiados. O preço das passagens continua previsto como R$2,50. Não vale também para veículos portadores de ar condicionado.
Considerando a desorganização do transporte público na cidade, a questão do não cumprimento dos horários dos ônibus, seja por culpa do tráfego ou mero desrespeito ao usuário, ainda há que considerar as constantes reclamações conhecidas na internet pelos usuários do Rio quanto a falhas constantes no sistema eletrônico do bilhete.
A redução do ISS, independente de seu caráter inconstitucional, é uma questão política onde o Sr Fernando Tinoco se expressa veementemente contra, uma vez que esta beneficia empresas há 20 anos; que já tem garantia que prioritariamente o serviço de transporte urbanos será explorado por concessões e que o serviço é de péssima qualidade. Dizer que não subsidia e reduzir o imposto, ou alíquota como fez questão de retificar o subprocurador, é mais uma vez campanha pra inglês ver.
O vereador Leonardo Giordano ressaltou o que chamou de 'zelo constitucional seletivo', onde, dependendo do interesse da mesa diretora da Câmara, há uma seletividade entre o que é e o que não é considerado constitucional, usando a carta magna e sua referência ao bel prazer dos vereadores governistas...
O subprocurador justifica que foi realizado estudo pela NitTrans estimando o custo de implantação do serviço e para que a Prefeitura não entrasse com 'nenhum', optou por beneficiar as empresas com a redução da alíquota do ISS. Pasmem! Cadê esse estudo?!...
O sr Heitor Porto lembrou que o governador Sergio Cabral se elegeu às custas da implantação do Bilhete Único no Rio de Janeiro, e que Jorge, que segundo ele não é bobo, está fazendo o mesmo...

Um comentário:

  1. verdade. fiz o bu e não tem ligação intermunicipal e nem todos os ônibus tem.

    ResponderExcluir

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!