segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Minha comemoração do niver de Nikiti...

Comemorei muito bem...
Encontro na Moleque de Ideias com Cláudio Oliver de Curitiba, foi tudo de bom.
Para conhecerem um pouco a grande figura que é o Cláudio e o que vocês perderam, reproduzo um texto publicado num jornal de Curitiba (?) onde ele anuncia o workshop que daria - em julho!...
A próxima vez que ele vier a Niterói, torno a avisar, mas as sementes foram plantadas e germinam em breve!! Obrigada Cláudio.


Do Meu Lixo Cuido EU - Workshop

Claudio Oliver e as galinhas
Se Curitiba sempre foi referência nacional em urbanismo e civilidade, mais um nobre atributo pode ser somado ao seu currículo. A sustentabilidade, o uso simples e inteligente de recursos naturais no resgate da qualidade de vida tão deteriorado das grandes cidades, está sendo cuidadosamente implementado por cidadãos como Claudio Oliver e Eduardo Ferniman, por ONGs como a Casa da Videira, que vêm sensibilizando com muito papo e simpatia a vizinhança por onde circulam.

Segundo reportagem do jornal Gazeta do Povo, Oliver, morador de um condomínio de luxo, convenceu quase todos os moradores a aderirem à compostagem do lixo, ao recolhimento do óleo de cozinha para fazer sabão, ao pó de café usado e outros pequenos segredos para a preservação do planeta. No jardim do condomínio, carneiros pastando, como uma sonhada casa no campo. E no quintal da sua casa, esse ex-dentista fluminense, integrante da ONG Casa da Videira que semeia esses mesmos princípios, ele também recicla seu lixo, cuida de suas galinhas e produz 350 kg de alimento por ano em sua horta. Exemplo imediatamente adotado por seus vizinhos, entre eles Eduardo e Debora, que têm implementado ações como essas por toda a redondeza, estimulando o plantio de árvores e canteiros de flores em praças e terrenos baldios. A Prefeitura, se no início mostrou-se receosa com a 'ocupação', começa a ceder aos encantos óbvios dos mutirões de preservação da área verde.

E nestas bandas de cá, atento à urgência de sustentabilidade e aos cuidados com o meio ambiente, o Transition Granja Viana convidou esses ilustres preservacionistas Oliver e Eduardo para nos dar o caminho das pedras desse trabalho de tirar o chapéu - de palha!

Assim, acontece no próximo dia 25 de julho o Workshop " DO MEU LIXO CUIDO EU" - Oficinas de Compostagem e Canteiro de Capilaridade. Baseado na pedagogia da pergunta, o workshop propõe uma comunicação aberta com os participantes (papo de portão!), a oferecer o que desejam saber, ao invés de um programa fechado de informações. A partir das demandas apresentada pelo grupo, os seguintes tópicos serão abordados:
  • O que é lixo e o que não é lixo. Uma tipologia;
  • Ciclos de vida e ciclos de morte na cidade;
  • Restos de comida, restos de cozinha, restos comerciais, restos de fornecedores;
  • Manejo de resíduos;
  • Métodos existentes: Lixeira viva, green cone, pequena pecuária urbana, lixeira bokashi, lixeira LA TRIBU, entre outros;
  • A impermeabilização e a produção de alimentos;
  • De consumidor a produtor;
  • Usando o material compostado como fonte de adubação e fechando o ciclo da vida;
  • Manejo da água com sabedoria;
  • Por que capilaridade.
PARTE PRÁTICA - construção de uma lixeira viva e um canteiro de capilaridade, em cada um dos workshops, ensinando o passo a passo.
MATERIAIS:
  • As caixas para construção das duas lixeiras;
  • Brocas - (iremos levar);
  • Rastelo pequeno - (iremos levar);
  • Torneiras para as lixeiras - (iremos levar);
  • Minhocas vermelhas da Califórnia - (iremos levar);
  • Duas caixas de isopor utilizadas para transporte de salmão. Onde conseguir? Em restaurantes na sua região, no mercado municipal, em restaurante japonês. Eles jogam este material altamente poluente fora todo dia!
  • Cepilho de madeira - em qualquer marcenaria eles te dão - o suficiente para encher uma das caixas serve às duas com sobra;
  • Cano de PVC de 40mm (esgoto de pia , do mais barato e se possível daqueles que sobraram de construção);
  • Terra preta algum adubo orgânico, calcário calcitico ou dolomitico, pó de osso ou de ostra. Vende-se em casas de jardinagem em pacotes de 1 kilo (vamos usar uma colher de sopa só para cada caixa);
  • Um tubinho desses de chuveirinho de banheiro (pode ser velho e usado ou qualquer coisa similar.);
  • Arco de serra;
  • Mudas de alguma coisa (calcule umas dez por caixa);
  • Folhas ou resto de grama (um pouco para servir de cobertura morta).
Instrutores: Claudio Oliver e Eduardo Ferniman
Apoio: Transition Granja Viana e Red Del Camino - A.L.
Data: 25 de julho, das 15h às 18h
Local: Colégio Anglo, da Granja Viana
Av. São Camilo, 2500
Informações: 9941.3481 - Isabela Menezes
Inscrições: Gratuitas!
Não perca! Pequenas atitudes de cada um para grandes benefícios de todos!

Um comentário:

  1. O cY
    Muito obrigado pelo carinho.
    O texto do jornal na verdade você pode acessar aqui:
    http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=996097&tit=No-Mossungue-que-nao-conhece-a-solidao

    ResponderExcluir

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!