domingo, 21 de novembro de 2010

Destino do prédio do Colégio Brasil gera polêmica

n'OGlobo  por Duilo Victor - 
20.11.2010
 


O prédio em estilo neoclássico onde funcionou o Colégio Brasil, até meados dos anos 1980, no Fonseca, hoje está em ruínas e motiva dois movimentos: um para tombá-lo como patrimônio histórico e outro para derrubá-lo de vez.
Depois que o colégio fechou, o prédio, do século XIX, acabou integrando a área comum do condomínio Solar do Barão e nunca mais passou por manutenção. Parte do telhado já desabou, há muita sujeira, e o interior do imóvel é constantemente invadido, o que já chegou a provocar um incêndio na parte ainda de pé. 

A polêmica entorno do prédio é tema de reprotagem deste domingo do GLOBO-Niterói ( disponível na íntegra para assinantes pelo Globo Digital). Se fisicamente só existem ruínas, a memória do Colégio Brasil continua forte. Ex-alunos, como a produtora cultural Walma Lúcia, formaram um grupo de ação para que a construção se torne patrimônio público, seja reformada e vire algo como um centro cultural. 

Síndico do Solar do Barão, Luciano Ribeiro Gomes, diz que não sabe a quem reclamar para se livrar dos transtornos causados pelo prédio abandonado, pois não se sabe quem herdou o imóvel: 
— Nossa intenção é derrubar e construir uma área de lazer para o condomínio.
A reportagem mostra também o que pensa o secretário municipal de Cultura, Cláudio Valério, sobre o valor histórico do prédio e o que tem feito os ex-alunos para preservar a memória do educandário.

7 comentários:

  1. Reginaldo B. Carvalho29 de março de 2013 01:57

    Sou ex-aluno do colégio Brasil.
    E nunca me esqueço da Diretora, conhecida de todos, como D. Ruth, que contribuiu e muito com nossa educação, formação de nosso caráter, enfim, lapidando nossa personalidade. Obrigado, a todos os professores do antigo colégio. Estou beirando aos sessenta anos. Mas, só apagarei o meu antigo e querido coléigo da memória quando morrer. Ainda hoje consigo, de modo raro, encontrar alguns colegas. Sou a favor de que o colégio devia ser tombado como patrimônio histórico da cidade, reformado, e aberto ao público. Seu fundador, o prof. João Brasil, apesar de não tê-lo conhecido, apenas a pintura do seu busto, em um quadro exposto no salão, que hoje, está destruído, como as fotos mostram. Uma pena. O colégio Brasil frente a frente, sempre grande a lutar e a vencer... Não me lembro mais. Marcou a minha época e a de muitos. Abraços a todos !

    ResponderExcluir
  2. Primeira estrofe to Hino do Colegio Brasil:

    O Colégio Brasil frente a frente
    Sempre grande a lutar e a vencer.
    Seja o templo da luz eloquente
    Aclarando o infinito, o Saber.
    E os luzeiros da pátria fremente
    Do futuro os herois devem ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou ex-aluna desse colégio e guardo grandes lembranças. Espero que seja tombado como o marco de uma época num país com tão pouca memória.

      Excluir
  3. Gente esse Colégio era lindo! Vê-lo assim em ruínas, a Secretaria destruida, é de doer o coração!

    ResponderExcluir
  4. Estudei no Colégio por apenas três anos. Mas foram tão intensos que estão e estarão sempre nas minhas melhores lembranças. Não somente pelos amigos, mas pelos professores,pelo local e princialmente pela banda marcial que orgulhosamente fiz parte.

    ResponderExcluir
  5. LABOR OMINIA VINCIT - QUEM SE LEMBRA DESTA FRASE E DO PROFESSOR MICHEL (LATIM) , DA PROFESSORA DNA. MORGADINHA (historia) - 1956/62 fantástica emoção ao ver estas fotos - Emersson Velasco (emerssonvelasco66@globomail.com)

    ResponderExcluir
  6. labor ominia vincit - quem se lembra desta frase anos 1956/61 fantástica emoção ao ver estas fotos
    emerssonvelasco66@globomail.com

    ResponderExcluir

Lembre de assinar! Só comentários COM NOME serão postados.
Obrigado por participar!