sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

SMU e Prefeitura desconsideram pedestres e ciclistas como parte do trânsito

Compartilhando postagem do Pedal Sonoro:
https://pedalsonoro.com.br/2017/01/27/smur-e-prefeitura-desconsideram-pedestres-e-ciclistas-como-parte-do-transito/

domingo, 20 de dezembro de 2015

ADEMI confirma: Papai Noel existe mesmo!

Matéria paga da ADEMI no Globo Niterói deste sábado 19.12.2015 é hilária. Comovente. Não fosse trágica. Mas prima por um dado de realidade que falta à prefeitura de Niterói.

Quem teve a oportunidade de assistir a transmissão da sessão da Câmara desta quinta-feira dia 17 pode ver o esforço de convencimento que  a maioria governista fez pra pregar mentiras e manter seus narizes de seus tamanhos originais. Poderíamos até fazer concurso para elegeremos o mais esforçado...

Mas voltando aos patrões, a matéria começa com um sincero SE. Se esse que falta a Renato Barandier, subsecretário de Urbanismo; Se que falta à secretária Verena. SE que falta.. aos vereadores governistas, omisso e oportunistas, a maioria ali nem sabe do que trata o Plano. A piada da noite foi responderem que as inúmeras emendas apresentadas, principalmente pela oposição, haviam sido analisadas pela Comissão de Urbanismo presidida por Beto da Pipa! Hahahahahaha... ainda estamos rolando de rir!..
Ao empresário Biot, presidente da Ademi imaginamos que feliz com o resultado da votação, se utiliza de artifício minimamente honesto ainda que depois se perca. Se Niterói tiver projetos de mobilidade num futuro próximo... Mas não há Biot. E todos sabemos disso. Não há o menor esforço da Prefeitura em trabalhar corretamente.
A "insegurança jurídica" não impediu que Pendotiba fosse devastada por inúmeros empreendimentos quando é sabido que a legislação existente se limita a empreendimentos populares. Mas nada foi feito para se reforçar a legislação existente e consertá-la, ajusta-la onde havia a brecha para ser burlada e segurar a especulação imobiliária em Pendotiba e que agora vereadores e executivo justificam a execução e aprovação mais que apressada desse chamado plano.
Não é melhor momento para se adquirir nada por aqui. A água está acabando e ninguém está deixando isso claro.
PS: Pensando bem, achamos que Victor Junior ganharia o troféu Pinóquio do ano! Mas com séria competição com o cínico mor: O bom moço!...

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

QUEM FISCALIZA QUEM?!

Tempos estranhos esses que vivemos. Hoje, 01.12.2015 nos preparávamos para assistir a votação do Plano Urbanístico Regional para Pendotiba, quando soubemos, em cima da hora, que a mesma havia sido adiada. Sem maiores informações.
Paramos para avaliar, ainda que rapidamente, alguns aspectos das inúmeras emendas(*) ao PUR Pendotiba realizadas pelos vereadores. Para nossa surpresa, apenas 6 vereadores apresentam emendas e outros 4, sob o manto protetor da Comissão de Urbanismo, apresentaram emendas em nome da própria secretária de Urbanismo, fato muito curioso. Ora, se uma das principais, senão a principal função do parlamentar é justamente FISCALIZAR o executivo, pareceu-nos franca e aberta a porta de comunicação direta entre o legislativo e o executivo, sem a menor cerimônia, sem disfarces, sem vergonha nenhuma. Resta a dúvida, para que então serve um vereador?
Numa Câmara composta por 21 vereadores, eleitos legitimamente (!) pelo povo, e não indicados pela prefeitura, é de suma estranheza o fato de apenas 6 vereadores - nos demos o direito de não considerar as pseudo emendas da comissão 'braço direito' do executivo - repetimos: apenas 6 vereadores de 21, tenham propostas de diálogo e alterações com o Plano. Apesar de todas as críticas e oposições que alguns destes venham travando há tempos sobre o processo e o conteúdo em si onde rechaçariam o processo como um todo. Mas como quem 'leva' é a maioria, pelo menos a maioria eleita, porque a maioria mesmo continua dormindo...
Um ignorante poderia argumentar que os demais 11 vereadores (um membro dessa comissão de 5 elaborou uma emenda independente do executivo, pelo menos aparentemente, assim consideramos que 4 "fecham" com a proposta do governo) concordam com o Plano do governo e por isso não têm o que emendar! Poderia ser. Mas céticos, sabemos, por termos acompanhado todo o processo pelas redes sociais, que não muito mais que aqueles 6, (talvez mais um ou quiçá dois, para não corrermos o risco de sermos injustos), compareceram às poucas audiências que aconteceram ao longo deste ano. Ou seja, onze votam de olhos e ouvidos fechados num Plano Urbanístico para uma Região sem sequer saber do que se trata. Ou mesmo que saibam, não importa, porque o que importa é abanar com um sim a cabeça ao executivo. Assim como se vota, sem maiores problemas, a favor do calçamento de uma via, a iluminação em um poste ou a capina de uma rua, como acontece rotineiramente na Câmara. Desafiamos a qualquer um a conversar com os  componentes da trupe do governo sobre alguns dos itens do PUR e temos certeza que nada saberão, no máximo reproduzirão o discurso oficial, sem nem mesmo nenhuma defesa que seja substancial. Quanto mais uma crítica!
Desses 21 vereadores, por ocasião da primeira votação que ocorreu duas semanas atrás, o presidente da Câmara não votou, como é de praxe; um se absteve; 4 estavam ausentes e 12 votaram a favor. Desses 12, apenas 1 apresentou uma única emenda. Os demais onze não se pronunciaram. E quem se pronunciou a favor, o fez de forma arrogante e mentirosa desrespeitando a população que assistia revoltada das galerias a votação e quase surtava ao ouvir descalabros cínicos, para se dizer o mínimo sobre a postura infame daquele vereador.

Importante que a população possa acompanhar - tivemos a intenção explícita em não entrar no mérito do Plano em si - para refletir apenas sobre a participação dessas pessoas para são parte importante das políticas públicas da cidade, no caso particular, da política urbana.
Em tempos de falta de abastecimento de água, de congestionamentos diários; de inundações com meia hora de chuva; de mau cheiro de canais a partir de estação de tratamento de esgoto, em tempos de politicagem marqueteira com dinheiro público; de priorização máxima a carros e velocidade; de obras elitistas de revitalização de ruas só para ficarem mais "chiques", vale a população abrir os olhos e começar a pensar em acompanhar mais de perto...
Porque após chegar mais perto, resta começar a questionar.
Como se propõe um Plano antes da Revisão de sua Lei maior, o Plano Diretor? Como  se propõe um Plano para uma Região sem um Plano de Mobilidade para a Cidade vigorando? Como se consegue verba federal  para fazer obra supérflua nos atuais tempos de crise sem se consultar a população? Como se propôs  uma Operação Consorciada com uma PPP (participação público privada) antes da Revisão do mesmo Plano Diretor? Como ainda não se fez a obra extremamente necessária de macro drenagem em diversos pontos da cidade?
Ou seja, o que não falta nesta cidade são propostas pontuais e alijadas de um planejamento maior, de uma integração. O que falta é vontade política de trabalhar JUNTO com a população, porque se quisesse mesmo, estaria gastando dinheiro de publicidade para convocar com firmeza a população a participar. Não é o que assistimos. Assistimos uma política urbana como 'jogos de tentativa e erro' ou venda da cidade como mercadoria a especuladores onde quem sempre perde e que paga o pato é o cidadão. Desatento, não percebe que seu bolso está sendo furado...
Que venha 2016!

(Tomamos emprestado o belo cartum de Claudius e transformamos seu elefante-educação, em cidade.)
*As emendas ao PUR Pendotiba podem ser lidas e avaliadas pelo link da Câmara: http://consultaniteroi.siscam.com.br/DetalhesDocumentos.aspx?IdDocumento=33083

domingo, 25 de outubro de 2015

A MÍDIA COMPROMETIDA COM GOVERNOS INTERESSEIROS

Como O Flu é uma mídia que não lemos, comprometida com todos os péssimos governos que vimos tendo nos últimos anos, só ontem, 24.10, vimos matéria que publicada em caderno especial dias 11/12, duas semanas atrás que estava, por acaso, encostado em pilhas em estabelecimento comercial.
E sem mais surpresa nos deparamos com descarada propaganda do Governo Rodrigo Neves carente de veracidade, para variar.
Basta ler o primeiro parágrafo e com a primeira mentira para sequer ter vontade de ler o resto.
"Para tornar Niterói uma cidade mais sustentável, a nova (NOVA?!) gestão da Prefeitura vem tratando o uso da bicicleta como meio de transporte como uma prioridade". 
Mentira. Mentira deslavada.
Quem pedala nesta cidade sabe, e ouvimos e lemos constantemente depoimentos de MUITOS ciclistas de Niterói só reclamando dos "ditos" feitos. Só quem diz 'Maravilha' são depoimentos em matérias pagas da Prefeitura. As vias não oferecem a menor segurança aos ciclistas e posam de bons moços, enquanto inconsequentemente incitam a população a pedalar mais. Onde?! Em ciclofaixas com 90 cm de largura, em mão dupla? Sobre as calçadas irregulares disputando espaço com pedestres, passando em pontos de ônibus entre os coletivos e os pedestres, jogando um contra o outro?
Gastam absurdos em verba pública em propaganda ao invés de aplicar de verdade em melhorias para o ciclistas e pedestres.
Citam a falsa Campanha de Conscientização, exigida por grupo de ciclistas, que manipulada, se tornou peça publicitária de mau gosto, fraca e que não atende aos interesses reais da população. Quanto foi gasto nos banners que quebraram em menos de uma semana? Que significa frase de efeito duvidoso e de mau gostos como "feito por você" ou mentindo que faziam uma cidade para pessoas? Onde nas vias, onde há ciclovias ou ciclofaixas, existe indicação a todos que usam a via (pedestres, ciclistas, motoristas em geral) de quem é a preferência no trânsito em cada situação, para quem segue ou para quem vira à esquina (chamada conversão)? Quem parte do O Fluminense há indicação e destaque sobre lei de trânsito, trazendo à tona e à educação do niteroiense regras de bom convívio nas vias?
O resto da Caderno prossegue falando em pseudo maravilhas que duvidamos da eficácia. Um enorme endividamento público, que Rodrigo deixa para seu sucessor sem um plano de mobilidade que justifique as siglas BRT, BHLS, VLT que só diz que vão resolver os problemas. O enfoque é pontual. O enfoque não abrange a Zona Norte. O enfoque não faz menção ao ISS cobrado dos empresários de ônibus, que poderia voltar a ser cobrado, pelo menos, o mínimo exigido em lei, e não menos do que isso como ocorre hoje em dia; nem que o Bilhete Único terá seu prazo de utilização ampliado ou oferecendo benefícios para a população ao invés de apenas beneficiarem os empresários de ônibus. Contrariamente, continuam incentivando mais e mais construções na cidade. Sem água e sem mobilidade, como permitir crescer tanto?
Niterói virou mercadoria que está sendo vendida a alto preço para o mercado imobiliário. À população de Niterói? Nada! Aos amigos empreiteiros e empresários, TUDO!
Chega.
Quando a população, farta, vai se erguer de fato, além das redes sociais contra os maus e indevidos usos de seu nome para propaganda eleitoral antecipada? Alguns grupos vem fazendo sua parte. Devemos parabeniza-los e divulgar muito seus feitos. Mas MUITO mais ainda é preciso. Só a pressão da população, que não aguenta mais que mintam em seu nome, poderá banir para sempre políticos mentirosos e descomprometidos dos interesses reais da população.
Vamos ocupar as ruas. Vamos de bicicleta, vamos a pé, exigir respeito. Exigir transporte público eficiente e de qualidade para que mais carros possam ficar parados em casa. Exigir comprometimento e dar um basta em planos falaciosos que só enganam a população. Chega de lorota!

domingo, 4 de outubro de 2015

PROPAGANDA ENGANOSA IMPERA NO QUESITO MOBILIDADE

A Prefeitura de Niterói poderia ganhar o prêmio Guinness pela maior quantidade de mentiras que propõe com a maior desfaçatez à população niteroiense.
Os Planos de Mobilidade não emperram, conforme anuncia O Globo deste domingo 04 de outubro de 2015, simplesmente porque NÃO HÁ PLANO DE MOBILIDADE algum.
O que o governo de Rodrigo Neves faz são propostas pontuais e aleatórias, muito longe do que poderia se chamar de PLANO.

Além da propaganda paga no mesmo Caderno falando sobre Segurança, ilustrada com a imagem de ciclistas, o que só poderia ser considerado como uma afronta aos ciclistas, um chiste, uma piada de muito mau gosto. Afinal na mesma edição do dito jornal há fotos da largura exígua da ditas ciclofaixas, além de previsão da instalação da pista definitiva no meio da rua Marquês de Paraná. Ora, como conciliar com a matéria sobre o "Plano de Mobilidade" onde citam previsão de VLT (veículo leve sobre trilhos) de Charitas ao Centro que deveria correr no mesmo MEIO da rua Marquês de Paraná?! Choque de informações? Não apenas, mas falta de planejamento mesmo.
A Prefeitura de Niterói vem ao longo destes 2 anos e 10 meses de gestão comprovando sua falta de planejamento e, principalmente, falta de planejamento COMPROMETIDA com os interesses da população. Começam com a OUC (Operação Urbana Consorciada) que fere os princípios básicos do planejamento sério e criterioso e, sem revisão de Plano Diretor, estrutura carente de revisão desde 2002, tiram da cartola proposta de parceria público privada que atende aos interesses privados em atacar a frente marítima e trazer novas oportunidades empresariais para o Centro (e que agora buscam novas articulações para fazer a Operação acontecer de forma mais bizarra, conforme Globo de domingo último, mas isso é outra história!..).
Ampliação de população é prevista e nada de Plano de Mobilidade. Paralelamente, mais uma prova cabal da falta de planejamento (sério) da prefeitura, é a 'dormida de touca' em relação à Legislação Federal de 2012 que indica a cidades com mais de 200mil habitantes a execução de Plano de Mobilidade em prazo de 3 anos para conseguir financiamentos na área. O prazo se esgotou em abril 2015 e Prefeitura não sabia.. e não tinha Plano para apresentar. Agora falam em licitação, em conversas conjuntas com governo do Estado para proposição de plano para a Região Metropolitana... Mas ao mesmo tempo fazem Plano Cicloviário mesmo sem saber quais são as propostas para os demais envolvidos na mobilidade da Cidade. Tudo pontual e aleatório. Quem está pagando por todas tentativas e erros?..
A recente proposta do Plano Regional para Pendotiba é outro exemplo crasso da falta de planejamento onde abordam a questão da mobilidade no bairro sem, mais uma vez, ter um plano de todo o município. Não é possível se aceitar semelhante descalabro considerando principalmente a posição central que Pendotiba ocupa no Município e cortado diariamente pelo trânsito vindo da Região Oceânica além dos Municípios de Maricá e São Gonçalo. Embora aleguem que com a Transoceânica o fluxo da RO será desviado do bairro, essa a população que não conseguir embarcar na "Barca Social" - dado seu alto valor - que não se sabe se existirá em Charitas, ficará engarrafada no túnel de São Francisco para Icaraí, ou na Marquês de Paraná, com ciclovia ou sem ciclovia?! Propostas pontuais e..ruins!
Tudo isso por quê? Porque o 'buraco' é mais embaixo e não HÁ uma única matéria falando das relações com os empresários de ônibus e reformulação dessas relações e de todas as benesses que este setor tem na cidade e oferece um péssimo serviço. Enquanto não tivermos uma drástica reformulação nos transportes públicos (e não basta colorir os ônibus de verde ou vermelho) não teremos como reduzir a frota de carros das rua e só assim reduzir engarrafamentos. Não adianta culpabilizar a população que anda de carro se não há proposta justa e eficiente de transporte público, seja ônibus ou mesmo bicicletas, pois i que assistimos é só desrespeito com os cidadãos.
As citadas TransNiterói e TransPendotiba são elucubrações midiáticas que não tem pé nem cabeça, muito menos traçado. Não adianta se inventar NOVAS rotas para mais carros nas ruas. Precisamos REDUZIR a quantidade de carros e isso só pode acontecer cutucando os empresários de ônibus que estão muito satisfeitos com aumentos, isenções de ISS, antecipação de tarifas com Bilhete Único e pro aí vai. Enquanto isso a população seja usuária de ônibus, carros ou ciclistas, segue persistentemente enganada. Com tudo que vimos vendo alguém consegue acreditar em túnel pronto em fim  de 2016?
Saudades do site Acorda Niterói que ilustrava com astúcia a incompetência da gestão Jorge Roberto Silveira e todas suas conexões com os candidatos do PT, Rodrigo Neves e PDT, Felipe Peixoto.
Niterói piorou. Niterói tem sido tratada com mais descaso, com mais mentira e as perspectivas não são nada favoráveis.
Enquanto a população não forçar a barra, não entender quem são os inimigos de fato e não pressionar para que o governo assuma de verdade os SEUS (da população, bem entendido!) interesses e não de empresários locais e nacionais (presos ou não) dos setores da construção civil e de transportes continuaremos a pagar altíssimos impostos, termos a fama de alto IDH e continuaremos a não ter o retorno correspondente.
O niteroiense parece não perceber que seu dinheiro vai pelo ralo, com peças de propaganda mentirosas que só objetivam iludir a população que parece que tem ciclovia, que parece que tem alto IDH, que parece que terá Túnel enquanto, só para citar um simples exemplo, os novos bueiros da Ciclovia da Av Roberto Silveira estão sendo substituídos por outros em peças de concreto prémoldado. Estas peças estão sendo chumbadas o que vai impedir sua remoção para limpeza das caixas de águas pluviais por ocasião das próximas chuvas de verão... além de estarem se quebrando com facilidade uma vez que não aguentam peso e dificultando inclusive sua reposição... Quem paga por isso?
2016 está à frente. Cuidado.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Carlos Vainer “Estão destruindo as cidades”

Compartilhamos matéria do Boletim do CAU - 30 de setembro de 2015:

Entrevista: Carlos Vainer “Estão destruindo as cidades”

Para o sociólogo, arquitetos e urbanistas têm papel fundamental na construção de cidades mais inclusivas e igualitárias  

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Projeto Quilombo Solar


Integrar quilombo com comunidades tradicionais + geração de energia solar, formam o signo Quilombo Solar.

Tais conteúdos não se encaixam mais na expressão 'alternativas'. Nem o Quilombo, como espaço alternativo, mas reduto de uma experiência de vida e de uma cultura própria que hoje aglutina pessoas. Comunidades tradicionais trazem na essência a tradição; cultura e história de um povo, um grupo de pessoas, um coletivo, tanto faz o número de integrantes. Energia do Sol... algo mais óbvio que se aproveite esse gerador natural, em um país onde o astro rei incide com toda sua magnitude desde acima do grau zero da linha do Equador até abaixo do Trópico de Capricórnio, quase 40 graus entre essas latitudes, na grande maior parte dos 365 dias anuais? O que há de verdade de alternativo em qualquer um destes termos?..

São esses os ingredientes que se aglutinam no Projeto Quilombo Solar.

Uma capacitação para jovens locais vislumbrarem um futuro 'verde' e limpo, escolhendo manter suas raízes no local, perpetuando laços comunitários e culturais; a captação nos telhados da comunidade da luz do sol convertendo cada raio em energia elétrica para o uso cotidiano, em total harmonia com a rede formal, contribuindo para esta com o excesso não consumido; reforçando ideais de independência, sustentabilidade, proteção ao meio ambiente e vanguardismo ao conceito de tradicional, de comunidade, de preservação.

A possibilidade de concretização desse amálgama é o financiamento coletivo. Uma campanha social onde pessoas colaboram para a realização de um projeto verde de esperança, uma oportunidade além da nova relação mais consciente do uso cotidiano com os interruptores e tomadas; uma campanha que una termos como COMunidade (local), (apoio) COMunitário e (financiamento) COletivo, reforçando ideais que precisam ser deslocados da posição - quase pejorativa - de alternativos e alçar a consistência do normal, do comum, do padrão, convencional e se torne a partir de um sonho, uma realidade.

E o distinto, o discrepante, o fora do normal, restasse ao consumo desenfreado e irresponsável de ainda mais consumo, num circulo vicioso dependente e perverso; às 'comunidades' presas em condomínios iludidos com a segurança da desunião, que não usufruem do potencial de força e união que guardam suas comunidades, suas tradições, suas raízes; e valores tão básicos como a energia solar, o aprendizado conjunto, a manutenção de preservação do meio ambiente e das comunidades tradicionais sejam a oportunidade de realização de um projeto que conta com a cooperação de todos.

  • número de placas por casas - o custo do sistema solar fotovoltaico pequeno, com aproximadamente 6 placas.
  • custo aproximado de placas - Custo do sistema solar fotovoltaico de 1.6kWp - 12 a 15 mil reais.
  • número de jovens a serem capacitados por comunidade - 20 jovens, ao final de dois anos de projeto, 100 a 200 jovens. O ideal mesmo é trazer os jovens de outras comunidades para serem capacitados no Quilombo e depois todos juntos iríamos à comunidade local auxiliar na instalação.
  • kWa - kWp (kilowatt pico) - Conseguindo fazer 25 instalações em comunidades tradicionais, somaremos 40kWp instalados, favorecendo 25 famílias, gerando entre 60% e 100% do consumo das mesmas. Mas, a verba precisa vir de algum lugar, porque o Fundo Municipal para Energias Alternativas é de 400mil reais em 4 anos.
  • Serão beneficiados diretamente: 100 a 200 jovens + 25 famílias. Contando com fator multiplicador, ao menos 5.000 pessoas indiretamente.

sábado, 20 de julho de 2013

Dayse, Engenhoca é Niterói?

Definitivamente, Engenhoca É Niterói.
Mas o Programa Calçadas Livres da Secretaria de Preservação e Serviços Públicos de Niterói evidentemente não chegou lá.
Se 'atravessar' a Estácio de Sá já é uma dificuldade, imagine ir pro outro lado da Feliciano Sodré?!
Uma das ruas principais do Largo de São Jorge, que como o Largo da Batalha, é uma região, e não um largo!



 Esse cara estacionou assim... ele ia subir na calçada, mas tinha uma moto parada, então ele deixou assim mesmo.

 Esse supermercado, além dos preços de Icaraí, ele ocupa tanto a calçada...
 ..mas tanto...
mas tanto, tudo tão obstruído...
e imundo...
Que à população resta andar no meio da rua, que é de mão dupla...
 



 Você acha que a população na Engenhoca é de baixa renda? olha os carros de 'bacanas' estacionados com as 4 na calçada?!

Uma Niterói que você nunca viu: Vila de Pescadores da Praia Grande

Existe uma Vila. Onde moram umas 60 famílias. Talvez você nunca tenha ouvido falar. Talvez nunca os tenha visto ou visitado. Talvez tenha comido algo pescado por eles..

Existe um projeto. Um projeto que dizem que ninguém nunca viu.. Existe um prefeito interessado em apoiar interesses alheios que por sua vez estão interessados no que não lhes pertence. Existem empreiteiros só interessados em ganhar muito dinheiro.

Existe lábia, muita lábia, muita justificativa infundada, inconsistente para vender uma área que dizem ser desqualificada e sem vida.

Será 'sem vida' assim, como pode ser visto no vídeo?

É preciso impedir que interesses gananciosos definam o rumo que uma administração deveria ter - se quer ser íntegra - de proteger, sanear, manter a cidade e todos seus bairros limpos, com mobilidade, segurança, atendendo os interesses da população.
É preciso despertar mais uma administração do sonho alto demais de sucesso pessoal a qualquer custo: se era este o objetivo, procurasse ser artista de rede de TV.
Agora 7 meses já se passaram, depois da posse tomada, da casa administrativa ajeitada, vamos colocar mãos à obra de verdade, seu prefeito, que a quem deve satisfação chama-se moradores da cidade de Niterói.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Depois da versão Jornóquio, a mesma meia dúzia de seis: Rodrinóquio!

INFORME DIÁRIO DA OAB DE NITERÓI
Dia 1-7-13
Editor: Antonio José Barbosa da Silva, presidente

"Prefeito visita diretoria da OAB Niterói, sexta-feira, para mostrar projeto de revitalização do Centro da cidade

  O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, estará sexta-feira, dia 5, na OAB Niterói, para apresentar o projeto  de revitalização do Centro da cidade. O encontro será às 14 horas e foi decidido durante conversa, na tarde desta segunda-feira, por telefone,  com o presidente da entidade, Antonio José Barbosa da Silva.

 Rodrigo Neves revelou que o Centro ganhará uma roupagem totalmente nova e moderna, em atendimento aos pedidos da OAB Niterói, do comércio e das universidades. Lembrou ainda que já está quase pronto  o plano diretor que beneficiara todos os bairros, com apoio da presidente Dilma Rousseff e do governador Sérgio Cabral.

 Antonio José elogiou a iniciativa do prefeito por escolher a OAB Niterói para essa apresentação, num reconhecimento ao seu valor e luta em defesa dos direitos sociais e  da melhor qualidade de vida, com o objetivo sempre do fortalecimento da cidadania plena.

 Afirmou que o Centro de Niterói requer mudanças profundas  nas áreas de trânsito, urbanismo e  social, como a retirada dos moradores de rua. Esse conjunto de iniciativas vai mudar a fisionomia da cidade e dar melhores condições de vida para quem mora e circula pelo Centro, facilitando também o exercício da advocacia."

Se, Rodrigo está fazendo Plano Diretor, por que a secretária de urbanismo não sabe disso?? Afinal na 5ª Conferência das Cidades, realizada nos dias 3, 4 e 5 de maio, no domingo 5, ela declarou:
http://youtu.be/BrR4Ka4lHdE

E novamente no debate da UFF dia 26/06 ela confirma que não está fazendo Plano Diretor. Confira, começa aqui http://www.youtube.com/watch?v=JcZKuffJCS4